Desembargador cassa liminar para Flu jogar no Maraca sem custos.

16
Foto: Nelson Perez / Fluminense

UOL: O
Desembargador Eduardo Gusmão Alves de Brito Neto, da 16ª Câmara Cível, cassou
liminar que garantia ao Fluminense o direito de jogar sem custo no Maracanã.

No
entendimento do magistrado, o Tricolor terá de cumprir um aditivo assinado em
2015, que dava à concessionária o direito de rachar as despesas com o clube.
Apesar do revés, o jogo diante do Liverpool está confirmado para o estádio.
Em seu
despacho, o desembargador alega que a Maracanã S.A teve seus direitos não
atendidos em seu acordo com o Governo do Estado do Rio, o que gerou
desequilíbrio financeiro.
Assim,
as partes terão de cumprir estas cláusulas posteriores ao contrato original,
que livrava o Flu de todo e qualquer custo operacional. Por estes aditivos
assinados, o clube se compromete a arcar com eventuais gastos.
Brito
Neto estabeleceu que a cláusula vai se aplicar a todos os jogos do clube até
que se encontre uma solução para o imbróglio que envolve o Maracanã.
“Impedir
o Fluminense de mandar seus jogos no Estádio enquanto não alcançado um novo
acordo significaria impor-lhe terrível fardo por um desequilíbrio que não lhe
pode ser imputado, além de tampouco gerar receita com as partidas, transferidas
para outras praças, com prejuízo de todos: da concessionária, do Clube, do
Município e dos torcedores. Forçar a concessionária a respeitar o contrato em
seus termos primitivos, à luz do reconhecimento pelo agravado do notório
desequilíbrio financeiro a ele imposto, significaria, ao revés, negar ao
contrato sua natureza processual e liberar o agravado do dever de observar a
boa-fé também na fase de cumprimento ou execução do contrato”, escreveu
ele.

Enquanto
as partes seguem sua briga nos bastidores, o técnico Abel mantém a preparação
do time para a estréia na Sul-Americana. Neste terça, o treinador comanda o
último treino antes do jogo ante o Liverpool, do Uruguai.

COMENTÁRIOS: