Flamengo: Pratas da casa, Mancuello ou novo esquema?

15
GOAL: A
lesão de Diego veio em um momento complicado para o Flamengo, o meia ficará de
fora da equipe por pelo menos um mês, período em que o Rubro-Negro tem as fases
finais do Campeonato Carioca e da fase de grupos da Copa Libertadores da
América.
A
ausência do jogador é sem dúvida uma grande perda para o time de Zé Ricardo,
além de referência, Diego atravessava uma grande fase sendo o principal
destaque do time na Libertadores, por exemplo.
Mas
sem tempo para lamentar, o treinador já começa a pensar na equipe que
enfrentará o Botafogo pela semifinal do Campeonato Estadual. Essa é a primeira
oportunidade de testar o Flamengo sem Diego, que na próxima semana já encara o
Atlético-PR, pela quarta rodada da fase de grupos da Libertadores.
Com
Ederson e Conca sem prazo para retornar aos gramados, Zé Ricardo têm em mãos
algumas opções na casa como os jovens Matheus Sávio, que substituiu Diego após
a lesão na partida, e Lucas Paquetá, preferido pelos torcedores. Além deles,
Mancuello que vem atuando na ponta desde o início da temporada, pode assumir a
função ou o treinador também tem a oportunidade de mudar o esquema da equipe.
Se no
início da temporada, o discurso da diretoria era de que os reforços seriam
pontuais e que a prata da casa poderia fazer a diferença esse é o momento em
que a comissão técnica pode colocar isso em prática. Optando tanto por Matheus
Sávio quanto Lucas Paquetá no meio-campo e não alterando a forma da equipe
jogar.
Se
Mancuello retornar ao meio-campo, o Flamengo também pode continuar atuando da
mesma forma já que pontas é o que não faltam no elenco. O único problema é que
quando ficou responsável por armar o time sozinho o argentino mostrou
dificuldades. Claramente a sua melhor posição é como um terceiro homem
auxilando o armador.

Ricardo pode ainda mudar o esquema da equipe principalmente agora que Rômulo
está retornando e Márcio Araújo atravessa uma boa fase. Com isso, Zé jogaria
com três volantes dando liberdade aos laterais: tanto Trauco quanto Pará sobem
com frequência e qualidade.

Arte: Goal.com
Nesse
esquema, a armação das jogadas ficaria mais por conta dos “alas” e
Willian Arão também voltaria a ter liberdade para chegar com mais frequência ao
ataque, o que fazia muito bem no início da temporada passada.
Tecnicamente
a ausência de Diego é uma grande perda, mas um elenco com investimento alto
como é o do Flamengo precisa corresponder nesse momento. Além da semifinal
contra o Botafogo, Diego perderá uma eventual final e os jogos contra
Atlético-PR, fora, Universidad Católica, dentro de casa e San Lorenzo, na
Argentina.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here