Pelo Maracanã.

10
Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

BOTECO
DO FLA
: Flamengo e Vasco entram em campo nos Embalos de Sábado à Noite para dar
início à fase não-decisiva do bagunçado Carioqueta. Valendo um milhão de reais,
que em meio ao turbilhão de prejuízos rodada após rodada nem significa tanto
assim; valendo toda a honra que envolve o Clássico (tudo bem que o Eurico pirou
total com isso e acha ganhar um confronto entre os dois clubes mais importante
do que não ser rebaixado, ao que parece); e principalmente (a que ponto
chegamos?) valendo a possibilidade de poder estar no Maracanã outra vez na semana
seguinte, com direito à volta olímpica e tudo mais.

Olhando
para o passado, a gente lembra que em 2016 o Fator Maracanã também acabou
pesando muito na hora da decisão. Esvaziado, deficitário e esculhambado como de
hábito, a notícia de que Nosso Velho e Bom Maraca seria o palco das finais do
Estadual serviu como uma motivação a mais. Infelizmente não deu pra gente e o
estádio acabou não-colorido em preto e branco no confronto entre Vasco e
Botafogo.
Nem
lembro a última vez que o Flamengo-RJ teve a honra de fazer um
domingo-quarta-domingo por ali. Deve fazer bastante tempo. Com o jogo contra o
Atlético-PR marcado também para o Templo, uma bela oportunidade de nossos
atletas começarem a se sentir mais em casa, já que recentemente até
reconhecimento de gramado rolou, coisa impensável em tempos idos, quando o Zico
conseguia usar até placas de publicidade e posição de repórter como referência
de localização em campo.
Do
lado de cá Zé Ricardo deve ir com a força máxima disponível. Como rolou
treinamento fechado para a imprensa e o técnico volta e meia apronta umas
surpresas, não dá pra cravar isso com toda certeza. Quase certa é a entrada do
Donatti no lugar do Vaz. Esse último tentou, tentou, tentou, até que conseguiu
virar quase uma unanimidade na torcida de que está precisando de um banco. Acho
merecedor até de um psicólogo que tentasse explicar e enfiar na cabeça do rapaz
que ele não é uma espécie de New Zico, devendo se limitar mais ao feijão com
arroz nos jogos. O discurso do elenco, que teve como porta-voz o Arão em
coletiva recente, é a de que vale muito e vão entrar com tudo na luta pelo
título. É aguardar e ver se na prática o fator Libertadores, somado ao
esvaziamento da Taça Rio, não trazem o temido Modo Estadual Modorrento durante
o embate.
Do
lado de lá… Do lado de lá… O Vasco ainda se ressente da ida do competente
Luan para o Palmeiras e busca substituto para compor a zaga com o Melhor Amigo
do Guerrero, o Rodrigo. Luís Fabiano, suspenso, não há de fazer muita falta, já
que não balançou as redes desde a sua chegada. Saber a gente não sabe, mas é de
se imaginar que a eficiente lavagem cerebral que rola por São Januário esteja a
pleno vapor na semana do Clássico. Com uma última década conturbada de
rebaixamento em cima de rebaixamento, o comandante da nau, Eurico Miranda,
perdeu recentemente um dos únicos trunfos que usava para fazer cortina de
fumaça para a péssima situação: uma série invicta contra o Flamengo. Certamente
o lado cruzmaltino vem com sangue nos olhos. Seria de bom tom corresponder,
coisa que não aconteceu em muitos e muitos jogos durante a tal sequência
negativa.
Esses
são os temperos de mais um Flamengo x Vasco, um Clássico que ainda tem MUITA
lenha pra queimar, cuja moral ainda será elevada por anos e anos, ainda que
tentem de toda maneira apagar a magia.
PETISCOS
. FRIGOBAR. E não
é que a suposta “geladeira” de um dos responsáveis pela lambança daquele
pênalti em Brasília já acabou? O bandeirinha já retorna aos trabalhos neste
final de semana no jogo entre Botafogo e fluminenCe.
. FLA-ANTI-FLA.
Provoquei a mais nova (não) torcida do Flamengo no twitter. Mas ao que parece
sou mesmo café com leite por lá. Nenhuma pedra e várias curtidas e retweets na
frase “A nova torcida, a Fla-Anti-Fla, é tão atuante que nego assiste jogo do
fluminenCe e usa pra reclamar do Flamengo”.
. CRATERA. Ao que
parece o povo de General Severiano poupou e não usou Tigre nas obras da Arena
da Ilha.
. MEDO. Vai ganhando força e
destaque lá pelo Vasco o Euriquinho, filho do eterno comandante do clube. Disse
um brother vascaíno certa vez, com uma sombra de temor no olhar, que ele
consegue ser pior que o pai. Série C no futuro?
Colem
nas redes Urubus, UruBoas e Antis
Facebook:
Mercio Querido
Twitter:
@sorinmercio
YouTube:
Canal Boteco do Flamengo. Notícias relevantes comentadas de forma irrelevante.

COMENTÁRIOS: