Queremos títulos, Flamengo!

14
Foto: Divulgação

FALANDO DE FLAMENGO: Por Thiago Nascimento

O
futebol movimenta paixões desde de sempre. Sem dúvida, é o esporte mais
apaixonante do mundo. Paixão essa, que quase em sua totalidade, surge para
quase todos nós na infância.
Quem
não lembra da primeira camisa do Flamengo? Quem não se lembra do primeiro jogo
no qual  as cores rubro negras do time da
Gávea, encheram o seu coração de alegria?
É
provável que suas lembranças sejam relacionadas a gols, jogadores, quem estava
com você assistindo à partida, se estava no estádio ou não…
Dificilmente,
quando se aprende a gostar de futebol (no nosso caso, o Flamengo), as pessoas
buscam entender sobre a gestão de um clube. Não porquê não queira, e sim, porquê
na fase infantil você se preocupa apenas com gols, vitórias e títulos… O
interesse pela gestão, em sua maioria, começa a aparecer quando se está um
pouco mais experiente (para não dizer mais velho).
Se
você chegou até esse texto, é sinal que você já alcançou esse “nível de
interesse/maturidade” por todos os assuntos do Flamengo. E diga-se de passagem,
isso é muito bom. É sinal que você está indo além das quatro linhas por causa
do clube. E quem sabe, isso até desperte o seu interesse de se engajar no dia a
dia do clube no futuro. Se tornando sócio, votando nas eleições, etc…
E aí,
você passa a entender que a gestão de um clube de futebol, é extremamente
complexa. E que por essa complexidade, os temas são divididos em vários
setores, por exemplo. Então, você começa a refletir o porquê o jogador X que
você gostava tanto foi embora do clube, porque o time não tinha/não tem
patrocínios, elencos fracos, etc …
E
juntando todo esse conhecimento adquirido, você alcança a resposta óbvia: que o
futebol depende de muitos assuntos que estão ao seu redor… Que não há time
campeão (de forma contínua) sem o sucesso das demais áreas. Ou seja, é
necessária uma gestão eficiente em todos os sentidos.
Não
vou entrar no mérito de quem geriu/gere o clube de uns tempos pra cá. Cada
torcedor que faça a sua própria avaliação. A única situação que eu almejo nesse
momento, é gritar: “É campeão!!”.
Entendo
que gerir um clube como o Flamengo, deve ser extremamente dificil. Entretanto,
como sempre é dito, o clube está se reerguendo. Que está se preparando para ser
principal clube do Brasil dentro e fora de campo. E sem dúvida, esse objetivo,
a Nação Rubro Negra aguarda a tantos anos.
Em
função disso, de uns anos para cá, criou-se algumas piadas famosas com tal
situação: ano mágico, ano da virada de chave, etc…
Mas
infelizmente, esse ano está demorando pra chegar.
Atualmente
temos Centro de Treinamento de qualidade, Centro de Inteligência, elenco
qualificadíssimo(um dos melhores do Brasil), além de outros profissionais
qualificados para todas as outras atividades que são ligadas diretamente ao
futebol do Flamengo.
Logo,
as expectativas para esse ano talvez sejam as maiores dos últimos tempos.
Mas
humildemente na minha opinião, o futebol do Flamengo está devendo e muito em
2017.
Acredito
que é necessário ter um planejamento mais efetivo para o futebol, com
metas/objetivos claros, e que os mesmos sejam compartilhados com a Nação Rubro
Negra.
Vou
detalhar melhor a minha reflexão de torcedor Rubro Negro, com alguns
questionamentos:

Primeira Liga: Por quê jogar com time reserva, se o clube foi um dos
entusiastas do campeonato?

Campeonato Carioca: Por quê jogar com time titular, se poderia aproveitar o
campeonato para implementar novos conceitos táticos/jogadas ensaiadas para as
demais competições que serão disputadas ao longo do ano? Por quê não escalar
diversos jogadores da base no lugar de jogadores contestados pela torcida e pela
imprensa esportiva?

Contratações: Por quê deixar na reserva, jogadores que foram contratados por
serem destaques em suas equipes disputando a Libertadores da América? E os
estrangeiros que foram contratados no ano de 2016? O que fazer com eles na
reserva? Senão são escalados por quê foram contratados? Foram erros de
avaliações? E Por quem? São contratações equivocadas então?

Técnico: Com diversas atuações fracas do time em 2017 (sem contar o grande
segundo tempo com o São Lorenzo e o bom jogo de estreia no Carioca) mesmo tendo
um elenco qualificadíssimo, o time não engrena e sequer joga bonito.
Com
relação as atuações, me refiro a todos os jogos da temporada, incluindo os
amistosos.

Libertadores: Porque Donatti, Berrío, Cuellar, não se juntam a Guerrero no time
do títular? Eles não vieram para agregarem experiência internacional ao time?
Senão são titulares, por quê foram contratados? Foram indicações do Centro de
Inteligência?

Gestão do Futebol: Quem realiza a cobrança interna desses pontos de
interrogação da torcida perante a comissão técnica e jogadores? É o VP de
futebol, o Diretor? E externamente no relacionamento com a torcida, quem pode
esclarecê-los?
Além
do mais, não podemos nos esquecer que a conquista de um título não é apenas
responsabilidade de um elenco de jogadores. E sim, com todos os responsáveis
pelo tema. Sem exceções.
Torço
para que o Flamengo retome o caminho dos títulos ainda em 2017. Já está mais do
que na hora de conquistarmos dentro de campo, o mesmo protagonismo que temos
conquistado fora dele.
Saudações
Rubro Negras.

COMENTÁRIOS: