Recusada pelo Flamengo, Lagardère busca Flu, Vasco e Botafogo.

47
Cerimônia de abertura das Olimpíadas do Brasil no Maracanã – Foto: Humberto Ohana

RODRIGO
MATTOS
: Após fechar acordo com a Odebrecht, a empresa francesa Lagardère quer
entrar já na próxima semana no Maracanã para vistoria para determinar quais as
obras mais emergenciais. Ao mesmo tempo, a empresa aposta no sucesso em
conversas com Fluminense, Botafogo e Vasco para ter jogos no estádio, já que o
Flamengo é desafeto da empresa. Ressalte-se que a confirmação da transferência
do estádio ainda depende do aval do governo do Rio de Janeiro.

Nesta
quinta-feira, Lagadère e Odebrecht chegaram a um acordo nos termos da venda no
valor para assinarem um memorando de entendimento para a venda. Isso significa
que inicia-se um período de transição em que as duas partes verificam as
condições do negócio, isto é, do estádio, das dívidas, etc. A empresa francesa
entende ter uma sinalização do governador Luiz Fernando Pezão de que vai dar
aval ao negócio.
A
intenção da empresa francesa é já entrar com equipes para vistoria na próxima
semana. Há uma questão porque estão marcados dois jogos, Flamengo x
Atlético-PR, e a final da Taça Rio. A previsão da Odebrecht é de 20 dias para
verificações antes da assinatura do acordo definitivo, enquanto a Lagadère
entende que isso pode ser feito rapidamente.
A
maior preocupação da empresa francesa é em relação à cobertura do estádio. Isso
porque é necessária manutenção constante da lona tensionada para que não se
deteriore. A previsão é de um gasto entre R$ 15 milhões e R$ 20 milhões para
obras emergenciais no Maracanã para recupera-lo.
Em
paralelo, a Lagardère tem mantido conversas frequentes com as diretorias de
Fluminense, Vasco e Botafogo. Aos tricolores, já foi feita até uma proposta de
modelo de uso do estádio com alterações no seu contrato atual com a Odebrecht
que será herdado.
Não há
diálogo com a diretoria do Flamengo, que teve um rompimento com a Lagardère.
Assim, o clube tem a posição de que não jogará no estádio. Há dirigentes do
Flamengo, no entanto, que ainda apostam em uma reviravolta e uma negativa do
governador, estabelecendo nova licitação, desejo dos rubro-negros.

questionamentos jurídicos à transferência da licitação por conta das suspeitas
de irregularidades. O ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado Jonas
Lopes recebeu propina para aprovar o edital de concessão, segundo delações
feitas à Polícia Federal.
Mas
até agora só existe uma recomendação do TCE (Tribunal de Contas do Estado) para
que a concessão seja desfeita, sendo que logo depois a maioria dos conselheiros
foi preso acusada de corrupção. O Ministério Público Estadual não se pronunciou
até o momento.

COMENTÁRIOS: