Televisionamento.

58
Márcio Braga ao lado de carro da Fórmula 1 do Flamengo – Foto: Divulgação

FLAMENGO
RJ
: Fernando Lemos


pouco menos de 40 anos, num 15 de novembro de 1977, dia do aniversário do
Flamengo e da Proclamação da República. Foi jogado um Fla x Flu no Maracanã,
não esvaziado como o de hoje em Cariacica ES, mas pujante e decisivo para a
definição do então significativo Campeonato Carioca daquela ocasião. Ganhamos
por 2 x 0 com dois gols de C.Adão. Porém, mais do que o resultado esportivo, o
que valeu mesmo foi o arrojo do então presidente Rubro-negro Márcio Braga, que através
de uma liminar proibiu que a TV Educativa gerasse imagens para outras emissoras
interessadas em transmitir o jogo para todo o Brasil, menos para o Rio de
Janeiro. Na ocasião, uma verdadeira comoção tomou conta dos meios esportivos de
todo o país, pois nem o requentado VT poderia ser exibido, só os três minutos
da lei vigente. A questão foi parar até no gabinete o presidente Gal. Geisel em
plena vigência da famigerada ditadura militar.
O
chefão da Globo Sr. Roberto Marinho ligou para o nosso presidente Márcio Braga
e lhe aplicou uma descompostura, como ele ousava impedir algo que era
absolutamente natural e que prejudicaria os interesses globais. No meio do
telefonema, Marinho quase aos berros ameaça e afirma de forma categórica, que
não reconhece aquela inusitada situação e aquilo não ficaria barato, logo em
seguida, diz que não quer mais dialogo com quem ousa entrar com uma ação
liminar contra os interesses de sua organização e desliga o fone na cara do
M.Braga.
A Mídia
Esportiva não faz por menos e mesmo a chamada Grande Mídia não poupa a ação do
presidente do Flamengo. Dois importantes dirigentes do clube, também eram funcionários
do alto escalão global, Magaldi e Walter Clark, que também não poupam Márcio
Braga de duras críticas. Os demais clubes do Rio se calam, o Botafogo é o único
que se pronuncia, porém com críticas também, “não deveria ser assim”,
“foi precipitado” etc. Mesmo grande parte de nossos torcedores,
criticaram a ação do presidente M.Braga, eram afinal impedidos de sequer ver o
VT. Na realidade, o presidente do Flamengo estava isolado nessa luta, mas em
momento algum esmoreceu, foi em frente a bancou sozinho a difícil empreitada.
Um
pioneirismo, hoje o dinheiro da TV é um dos maiores sustentáculos dos clubes de
futebol de todo o Brasil. Sem esta verba seria difícil para qualquer clube poder
honrar seus compromissos.
Vemos
agora, inúmeros clubes se rebelarem contra a maior fatia recebida pela dupla
Flamengo e Corinthians, a Globo que praticamente monopoliza as transmissões, já
acenou para os demais clubes, que uma nova forma de distribuição do dinheiro já
foi elaborada, certamente com prejuízo para o “trem pagador” e maior
gerador de audiência que é o Flamengo. Nos resta o conformismo com as novas
regras ou uma nova rebeldia…?
Divulgado
pela própria Globo, três jogos sem maior importância e com o Flamengo atuando
com um time de reservas ou com desfalques, Fla x Flu, Fla x Bangu e Fla x
V.Redonda geraram  bem mais audiência do
que  os “jogos da vida” do
Botafogo, contra Colo Colo e Olímpia valendo pela Libertadores.
Gávea ainda emperrada
Mesmo
com o Flamengo sinalizado, que um estádio na Gávea teria uma acústica, que não incomodaria
a vizinhança com o excesso de barulho.  
A presidente da associação de moradores do Leblon Dona Evelin
Rosenzweig, acha pouco, alega que a construção do estádio irá mudar a paisagem
do local, além de prejudicar a questão urbanística. O que nos causa espanto, é
que vivemos mesmo numa sociedade de classes, em qualquer bairro do subúrbio ou periferia,
uma obra de vulto é realizada e ninguém dá a menor importância para a
vizinhança pobre, mas nos bairros da elite econômica é o que estamos presenciando.
Uma novela interminável, até para o Flamengo conseguir construir uma pequena
arena multiuso para 3.500 expectadores. Imaginemos um estádio.
Fla x Flu
Mais
um clássico, mais uma legenda, que para o campeonato não valerá nada, mais uma
demonstração da irresponsabilidade dos cartolas da federação e seus
apaniguados. Sem maiores delongas mesmo…SRN

COMENTÁRIOS: