Zé Ricardo testou Flamengo com Cuéllar no lugar de Márcio Araújo.

12
GLOBO
ESPORTE
: Em tempos de treinos fechados, é raridade acompanhar alguns detalhes
do trabalho e ver o que muitos treinadores do futebol brasileiro pensam. No
Flamengo, quase sempre é assim. Mas nesta terça-feira a rotina foi um pouco
diferente: o técnico Zé Ricardo liberou a entrada da imprensa pouco antes da
metade da atividade e ao menos deu pistas do que pensa em fazer na equipe sem o
meia Diego, que se recupera de cirurgia no joelho direito.
Veja,
abaixo algumas das alternativas testadas e que podem ser utilizadas pelo
Flamengo enquanto o armador não volta:
Três volantes
A
primeira e talvez mais provável formação titular observada por Zé Ricardo na
terça-feira teve três volantes, parecida com a que foi titular na derrota por 1
a 0 para a Universidad Católica, pela Libertadores. Sem Diego desta vez, o meio
tinha Marcio Araújo, Romulo, Arão e Trauco, lateral-esquerdo que pode também
jogar mais centralizado.
Desta
forma, o ataque do Flamengo contava com Gabriel, aberto pela direita, e
Guerrero. Como a equipe tinha três volantes, Arão era o jogador com mais
liberdade no meio de campo, ao lado de Trauco, para apoiar o setor ofensivo.
Assim, o Rubro-Negro, pelo menos no treinamento, não ficava muito recuado.

Teste realizado nesta terça-feira no CT do Flamengo (Foto: Reprodução)
Substituição? Cuéllar no lugar de Marcio
Araújo
Mais
uma vez, Zé Ricardo mudou o time durante o treino de terça-feira, mas não mexeu
na formação com três volantes. Cuéllar pôde mostrar serviço e segue como opção
no banco. Assim como nas opções anteriores, Berrío, Trauco e Guerrero eram os
jogadores com mais liberdade e não precisavam voltar tanto para ajudar a
marcação, já que havia outros três marcadores no meio de campo.
Berrío no ataque
Outra
opção testada pelo treinador do Flamengo não teve Gabriel. O atacante deu lugar
ao colombiano Berrío – que cumpre mais dois jogos de suspensão na Libertadores,
mas pode atuar no Carioca. Assim, a equipe seguia com a mesma formação, porém
mais veloz na ponta. Com três volantes, os pontas tinham muito mais liberdade
do que normalmente, quando Diego está em campo. Uma outra opção seria a volta
de Everton na ponta. Nesta terça, o camisa 22 retornou ao trabalho em campo com
o elenco.

Berrío é opção no ataque. Everton segue voltando de lesão (Foto: Reprodução)
Dois meias e dois volantes
A
última formação testada por Zé Ricardo foi a mais “ousada”. Atuando
de novo como meia, Mancuello entrou no lugar de Romulo. Assim, Arão e Cuellár
(que seguia com os titulares) tiveram de ficar mais fixos à frente da defesa
para que o argentino e Trauco, pela esquerda, tivessem mais liberdade. O
treinador pedia, a todo momento, movimentação dos jogadores de frente.

Cuéllar e Mancuello também ganharam testes (Foto: Reprodução)
Ederson e Everton como possibilidades
Apesar
de não ter sido testado nesta terça-feira, Ederson é uma das opções de Zé
Ricardo para a semifinal contra o Botafogo, no domingo. Sem jogar há nove
meses, o meia pode entrar no lugar de Diego. Além dele, Everton, recuperado de
uma lesão na coxa, pode ser utilizado.

Ederson já está totalmente liberado para estar em campo. Acreditamos que pode
melhorar seu condicionamento. Essa é a etapa em que ele está. Everton terminou
ontem (segunda-feira) a transição e hoje (terça) iniciou a fase de volta ao
campo para recuperar a confiança. Durante a semana, caso seja a opção, os dois
podem utilizados. Mas ainda é cedo para tomar qualquer tipo de decisão. A
semana está só começando – disse o treinador.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here