A Cota de TV do Flamengo

30
Foto: Divulgação

FALANDO DE FLAMENGO: Por Thiago Nascimento

Podemos
afirmar sem sombra de dúvidas que a semana será regida por fortes emoções, pois
vivenciamos nesse momento a semana mais importante de 2017 desde que o ano
começou.  Afinal de contas, jogaremos a
nossa sorte (digo, competência) a prova nos jogos decisivos da Libertadores e
também na final do Campeonato Estadual.
E
sendo assim, milhares de Rubro-Negros(as) estarão na torcida para que possamos
sair ilesos ao final dessa jornada. 
E qual
será o hábito comum a 99,99% dessas pessoas que acompanharão o Flamengo nessa
maratona Rubro Negra em busca da felicidade? A resposta é muito simples:
assistir os jogos pela TV.
Tal
atividade não é novidade para a torcida do Flamengo. Porém esse hábito se
tornou mais comum a partir de 1977, época no qual o clube da Gávea tornou-se
pioneiro ao negociar seus direitos televisivos. Tal ação se tornou um divisor
de águas no futebol brasileiro. 
De lá
para cá, houveram muitas ideias interessantes(ou não) por parte dos clubes de
futebol com relação a esse tema. E entre essas ideias, estiveram a criação do
Clube dos 13. Entre as muitas responsabilidades da entidade, estavam as
negociações de direitos televisivos para as partidas de futebol.
Mesmo
sendo vanguarda, o Flamengo nunca foi uma unanimidade entre os clubes
brasileiros quando o assunto é cota de TV. Afinal de contas, os clubes nunca
aceitaram o fato de que o Mais Querido tivesse direito a maior cota de
televisionamento, mesmo sendo o clube que ao longo de sua existência, sempre
gerasse os maiores índices de audiência do futebol brasileiro.
Com o
passar do tempo, foi possível observar que a disputa por cotas de Tv,  gerou uma “desunião“ entre os clubes, ao
invés de se tornar um fator agregador e de união entre eles.
Atualmente,
muitos clubes possuem o seu próprio modelo de negociação para o devido tema.
Entretanto, o desdém sobre os valores que o Flamengo recebe, continua. Entenda
um pouco sobre o assunto, clicando aqui.
A
alguns anos, foi amplamente divulgado que a negociação de cada clube pelos seus
direitos de televisionamento, geraria um efeito de “espanholização” no futebol
brasileiro. Termo muito usado para os valores que recebem Real Madrid e
Barcelona em seus campeonatos nacionais. Clique aqui e entenda.
Porém,
é muito interessante observar que o Flamengo seja vanguarda novamente nos dias
de hoje, ao criar a sua própria Lei de Responsabilidade Fiscal. Mais um marco
importante para a história do clube e do futebol brasileiro. Para entender
melhor sobre o assunto, clique aqui e aqui.
O
futebol brasileiro clama por melhorias. Para entender mais alguns detalhes que
giram em torno do futebol brasileiro, clique aqui e aqui.
Em
meio a todas essas negociações de direitos televisivos por parte dos clubes
brasileiros, no qual os mesmos sugerem que as cotas sejam mais “igualitárias”,
é muito interessante observar quais são os posicionamentos dos demais clubes
brasileiros a questões relacionadas ao Flamengo. Entre essas questões estão:
Campeonato
Brasileiro de 1987, posicionamento sobre parcerias comerciais no campeonato
regional no qual o Flamengo disputa, posicionamento sobre gestão do Maracanã,
entre outras…  
Quanto
a valorização de uma organização ou indivíduo, acredito que a melhor forma de
se tornar relevante para seus parceiros comerciais seja: trabalhar com afinco;
de forma transparente, honesta, clara e com objetivos/metas definidas.  
E
acredito também que essas regras são válidas para qualquer ramo profissional.
Inclusive no esporte.
Saudações
Rubro-Negras.

COMENTÁRIOS: