Brasileirão começa com estreia de Vinicius Jr e goleada do Verdão.

16
Pedro Martins/MoWA Press

UOL: Dá para confiar nos três líderes?

Admita:
antes do Campeonato Brasileiro começar, pouca gente apostaria que o Bahia seria
o primeiro líder do torneio. Mas, após uma grande vitória sobre o Atlético-PR,
é justamente o time de Guto Ferreira que domina a tabela.
O
segredo foram os gols: os seis a favor dos baianos (e dois para a equipe
paranaense) deixam a equipe na liderança do Brasileiro, com vantagem sobre os
demais rivais que venceram seu primeiro jogo no número de gols marcados. Não
foi a única goleada da primeira rodada.
Palmeiras,
na estreia do técnico Cuca, e Ponte Preta, no embalo do bom Campeonato
Paulista, também deram (muitas) alegrias para seus torcedores, com 4 a 0 em
seus jogos. O atual campeão nacional derrotou o Vasco. Os vice-campeões
paulistas bateram o Sport.
Mas,
antes que você já vá colocar esses três como favoritos ao título, pense um
pouco: é só a primeira rodada de um torneio que vai mudar bastante até
dezembro, quando o time campeão vai levantar a taça. Mas até vale uma
comparação com o ano passado. Em 2016, duas goleadas chamaram atenção na rodada
de abertura: Palmeiras 4 x 0 Atlético-PR e Santa Cruz 4 x 1 Vitória. E, para
quem não lembra, enquanto um dos goleadores acabou campeão, o outro foi
rebaixado.
As frases da rodada
– Era
Dia das Mães e nós antecipamos o Natal
 Paulo Autuori, sobre a goleada de 6 a 2 que
seu Atlético-PR levou do Bahia
– Não
somos o patinho feio do Brasileiro. Vamos chegar. Óbvio que vai oscilar. Os
caras não são super-homens
Abel
Braga, técnico do Flu, após vencer o Santos por 3 a 2
– Foi
uma falta de atenção nossa. A gente sabia que o Cruzeiro só poderia fazer o gol
em uma desatenção
Rodrigo
Caio, zagueiro do São Paulo, após derrota por 1 a 0 para o Cruzeiro
– A
gente está meio debilitado, um monte de jogador com gripe, tomando injeção. A
pegada é forte. Não é desculpa, mas no final bateu um pouco do cansaço
Cássio,
goleiro do Corinthians, após o empate em 1 a 1 com a Chapecoense
A primeira vez é inesquecível. Para o bem
e para o mal
Primeira
rodada de Campeonato Brasileiro é tempo de experimentar? Em muitos casos, sim.
O fim de semana teve uma série de estreias pelo país e muita gente vivendo sua
primeira vez.
Um
deles foi um garoto de 16 anos que, dizem, já foi vendido por centenas de
milhões de reais para o Real Madrid. Outro foi um técnico campeão nacional que
voltou ao time do coração com goleada. Teve ainda um técnico estreante
descobrindo que Brasileirão é diferente de Estadual e um veterano mostrando que
não comanda patinhos feios.
E
também um ídolo fazendo sua primeira partida do banco de reservas e outro,
voltando ao gol do clube em que é recordista de jogos…
A primeira vez que valeu a pena
Cuca e os 4 a 0 do Palmeiras
A
(re)estreia de Cuca não poderia ter sido melhor. O time atropelou o Vasco e a
torcida comemorou quatro gols. Mais importante, porém, foi a mudança que, em
menos de uma semana, o técnico proporcionou. A marcação alta reaparecer, Tchê
Tchê voltou a jogar bem e até Borja, que estava em má fase, marcou duas vezes.
Para os palmeirenses, a alegria não poderia ser maior.
Fábio e a volta ao time titular do
Cruzeiro
Quando
Mano Menezes anunciou a escalação do Cruzeiro, muita gente torceu o nariz. No
lugar de Rafael, titular desde o ano passado, apareceu o veterano Fábio,
recordista em partidas pelo Cruzeiro. O veterano só tinha jogado uma vez desde
agosto de 2016, quando sofreu uma séria lesão no joelho. Mesmo com pressão
contrária da torcida, Fábio foi bem no 1 a 0 sobre o São Paulo.
Vinicius Junior e sua (rápida) estreia
No
Flamengo, todo mundo queria ver Vinicius Junior, o fenômeno de 16 anos que o
Real Madrid já teria contratado (rumores dão conta que o Fla vai embolsar cerca
de R$ 150 milhões pelo jogador). Como esperado, jogou pouco. A análise é do
blogueiro do UOL PVC: “Aos 37 do segundo tempo, Vinicius Junior estreou
aplaudido por um Maracanã empolgado. Natural ter sido discreto em seus
primeiros oito minutos em campo”.
Abel Braga e os “patinhos feios”
do Flu
Também
no Maracanã, o jovem time do Fluminense brilhou em sua estreia. O time fez 3 a
2 no Santos e venceu com autoridade o atual vice-campeão nacional. Uma surpresa
quando se pensa no jovem elenco do Fluminense e, principalmente, na baixa
expectativa que muita gente coloca em cima de Abel & Cia. “Nós não
somos patinhos feios”, disse o treinador, defendendo seus atletas.
A primeira vez que poderia ter sido (bem)
melhor
Rogério Ceni e as falhas defensivas
Desde
o início do ano, o São Paulo tenta se adaptar às ideias do agora técnico
Rogério Ceni. Mas o Mito, que tantas vezes salvou o São Paulo evitando gols as
mãos, está tendo muitos problemas para pensar em como melhorar a defesa
tricolor. Em sua primeira partida como treinador em um Campeonato Brasileiro, o
time perdeu por 1 a 0 para o Cruzeiro com uma falha geral do sistema defensivo.
Corinthians e seu técnico estreante
Fábio
Carille já comandou o Corinthians em Campeonatos Brasileiros, mas o empate em 1
a 1 contra a Chapecoense foi o primeiro desde que foi efetivado no comando. E
ele viu que as coisas são diferentes do Estadual, que venceu de forma
surpreendente. O time sofreu contra um rival fechado, levou duas bolas na trave
e, mesmo com Jô voltando a marcar, não venceu na Arena Corinthians.
Milton Mendes e as dificuldades de treinar
um grande
Outro
que já treinou no Campeonato Brasileiro, mas está estreando em um time grande é
Milton Mendes. E sua primeira vez foi ainda pior que a de Carille. No comando
do Vasco, sua primeira experiência em um dos grandes times do futebol nacional,
ele estreou com uma goleada de 4 a 0 para o Palmeiras. Em campo, ficou nítida a
diferença técnica entre as duas equipes. Muito trabalho pela frente para o
novato se quiser evitar um quarto rebaixamento vascaíno.
#BrasileirãoFacts
#CalçaVinhoDeVolta
Cuca
reestreou no Palmeiras com o 4 a 0 sobre o Vasco. Mas sabe quem também voltou a
aparecer no Allianz Parque? A calça vinha! O treinador nega que a calça seja um
amuleto de sorte, mas o fato é que ele vestiu a peça nesta tarde. E não estava
sozinho: muita gente na torcida copiou o comandante e foi de vinho nas pernas
para a partida.
#ViradaEm7Minutos
Se
você leu um pouco sobre a rodada do Brasileirão, já sabe que o Bahia conseguiu
a maior vitória do fim de semana. O mais incrível, porém, foi como foi
construída a goleada. O time começou perdendo, empatou e viu o Atlético-PR
fazer 2 a 1. Então, entre os minutos 39 e 46 do primeiro tempo, o time baiano
fez quatro gols e virou o jogo, que acabou 6 a 2.
#ViniciusJúniorS2Robinho
O “romance”
da rodada fica por conta de Vinicius Júnior, do Flamengo, e Robinho, do
Atlético-MG. No final do empate em 1 a 1 entre os dois clubes, a revelação
rubro-negra foi até o Menino da Vila para pedir a camiseta do jogo. ?Até pedi a
camisa dele, ele falou que vai me dar depois das entrevistas. É o meu ídolo
desde pequeno, e hoje fiquei muito feliz por jogar ao lado dele?. Coisas de
quem tem 16 anos e fez seu primeiro jogo profissional.
#RomeroXingaTorcedor
Um
vídeo com Romero “xingando muito no Twitter se espalhou pelas redes sociais.
Mas, afinal, qual o propósito da mensagem? O atacante do Corinthians teve uma
gravação vazada com a seguinte frase: “Tudo bem? Aqui é o Romero. Você
nunca confiou em mim, né? Vai tomar no c*!”, disse ele, aos risos. A
assessoria do Corinthians informou que tudo não passou de uma brincadeira que
acabou caindo nas redes sociais.
Opinião dos blogueiros
A
diferença técnica entre os dois times [Palmeiras e Vasco] é tal que deveriam
mesmo estar disputando campeonatos diferentes
Juca Kfouri
O
Vasco não merecia perder de 4 a 0 como foi goleado na estreia. Fez ótimo
primeiro tempo. Criou sete chances contra apenas três do mandante, campeão
brasileiro. Mas futebol é assim. E Cuca entende demais disso
Mauro Beting
O
Palmeiras repete os 4 a 0 do ano passado na estreia – em 2016 a vítima foi o
Atlético-PR. O elenco está mais rico, mas desta vez há uma Libertadores para
dividir atenções. Ainda assim, o status de favorito se reforça
André Rocha
Ceni é
ambicioso e tem proposta de futebol refinado. Após 5 meses da temporada era
plenamente possível a implementação dos requisitos essenciais para alicerçar os
mais difíceis de serem aprimorados
Vitor Birner
Junior
Tavares caiu muito, inclusive no ataque, seu forte. João Schmidt está de saída.
Bruno é bom no ataque e Buffarini é bom na defesa. Maicon não é o deus da zaga
coisa nenhuma. O São Paulo precisa de reforços
Menon
– Foi bem
Tchê Tchê (Palmeiras)
Depois
de reclamar que estava fora de posição com Eduardo Baptista, Tchê Tchê voltou a
fazer uma partida segura. Ele participou de dois dos quatro gols da equipe e
ainda mostrou polivalência de sempre,atuando como segundo volante, como meia e
até como lateral direito, quando revezou com Jean.
Clayson (Ponte Preta)
O
atacante começou o Brasileiro como se ainda estivesse jogando no Paulistão. A
revelação do torneio estadual marcou duas vezes e foi o grande destaque dos 4 a
0 da Ponte sobre o Sport. Quem deve ter gostado da atuação foi a torcida
corintiana: o jogador está apalavrado com o time do Pq. São Jorge.
Matheus Sávio (Flamengo)
A
torcida do Fla que foi ao Maracanã queria ver uma revelação rubro-negra
brilhando pela primeira vez no Brasileirão. Aconteceu, mas não com Vinicius
Júnior. Escalado como titular por Zé Ricardo, o prata da casa Matheus Sávio
marcou um golaço no empate em 1 a 1 com o Atlético-MG.
Régis (Bahia)
Como
não podia faltar um destaque para o time que fez seis gols em uma mesma
partida, a vaga fica com o meia Régis. Maestro do meio-campo do time de Guto
Ferreira, ele deixou o campo com dois gols.
– Foi mal
Jomar (Vasco)
O
zagueiro deu show de horrores no Allianz Parque. Fez dois pênaltis em Dudu,
tentou afastar cruzamento e quase fez gol contra e ainda foi o único jogador do
time a tomar cartão amarelo. Que fase, diria Milton Leite, narrador do SporTV.
Maicon (São Paulo)
O
zagueiro leva a culpa por uma jogada desastrosa de toda a defesa do São Paulo.
Ele chutou a bola para fora. O Cruzeiro cobrou rapidamente o lateral e Maicon
demorou a recompor na marcação. Alisson cruzou e Ábila, na área, marcou o gol.
Paulo Autuori (Atlético-PR)
Seu
time saiu na frente, mas levou quatro gols em sete minutos no primeiro tempo e
terminou sofrendo a maior goleada da abertura do Brasileirão.
Imagem:
Marco Oliveira – site oficial Atlético-PR
Santos
Com a
derrota deste domingo, o Santos mantém um jejum: não vence em estreias no
Brasileiro desde 2005. Desde então foram oito empates e quatro derrotas.
Disseram na TV
O
Vasco assusta o torcedor pela falta de recursos técnicos. Preocupa quando pensa
em mudar e tem que fazer alguma coisa. O que o Vasco tem que se preocupar é se
o elenco, com esse número grande de jovens, suporta o Brasileiro. O Vasco joga
em casa agora e tem que ganhar
Maurício Noriega, do SporTV
Eu
referendei o Grêmio como candidato ao título. Muita gente discordou. Mas hoje o
Grêmio mostrou que não está a passeio no Campeonato Brasileiro. O Grêmio é
candidato a título. Foi o melhor jogo do Gremio do ano. Ramiro foi o melhor do
jogo. A defesa esteve muito segura
Lédio Carmona, do SporTV
Parece
que ninguém erra, né? Rogério Ceni e Mano são dois treinadores que nunca
erraram na vida. As duas coletivas costumam ser um open bar de arrogância.
Mesmo sendo dois exemplos de arrogância pura, eu fiquei com a impressão de que
hoje eles deram uma recuada
Alê Oliveira, da ESPN Brasil
Juiz ignora tesoura na área no único 0 a 0
Além
das três goleadas, não faltaram gols na primeira rodada do Brasileirão. Foram
28 gols marcados até agora, uma média superior a três por partida. Só um jogo
(Avaí 0 x 0 Vitória) até agora, terminou sem gols. E, mesmo assim, deveria ter
tido ao menos uma bola na rede.
Aos 35
minutos do segundo tempo, Junior Dutra, do Avaí, invadiu a grande área do
Vitória e ia em direção ao gol em velocidade quando foi derrubado com uma
“tesoura” nas pernas pelo zagueiro René. O árbitro Felipe da Silva
considerou o choque normal e mandou seguir o jogo. A torcida do Avaí foi ao
desespero e vaiou o juiz por vários minutos depois do lance.

COMENTÁRIOS: