Com José Neto, Flamengo prepara reformulação no Basquete.

55
Foto: João Pires/LNB

GLOBO
ESPORTE
: Atual tetracampeão do Novo Basquete Brasil, o Flamengo assiste pela
televisão o desenrolar das semifinais. Eliminado pelo Pinheiros na última
semana, o Rubro-Negro ainda junta os cacos, mas já começou a se movimentar
visando a próxima temporada do basquete brasileiro. De antemão, todos os
atletas foram dispensados até o dia 21 de maio, quando haverá uma
reapresentação. Do atual elenco, porém, apenas o ala Humberto tem contrato por
mais um ano. Todo o restante do grupo, inclusive Marquinhos e Olivinha, grandes
nomes do time no NBB 2016/17, precisarão sentar para negociar a renovação caso
seja de interesse das duas partes.


Tínhamos total potencial para chegar ao pentacampeonato e, evidentemente,
estamos bastante insatisfeitos com o resultado do NBB e, a partir o caminho
para a próxima temporada será construído. Claro que, quando se perde um
campeonato, começam muitas especulações. Porém, da mesma forma que fizemos nos
quatro anos anteriores, quando ganhamos praticamente tudo e, mesmo assim,
modificamos o elenco na temporada seguinte, vamos fazer uma avaliação profunda
em todos os campos, técnico, tático, físico, médico e comportamento – garante
Alexandre Póvoa, vice-presidente de esportes olímpicos do Flamengo.
Comandante
do time desde 2012 e campeão do Novo Basquete Brasil nos últimos quatro anos, o
técnico José Neto tem contrato até junho de 2018. De acordo com a diretoria, a
intenção é mantê-lo e o saldo do trabalho do treinador é visto como positivo.
Sua manutenção, contudo, também dependerá de conversas que começarão na próxima
semana, quando o Diretor Executivo de esportes olímpicos do clube, Marcelo
Vido, retorna de compromissos no exterior. Ele e o vice-presidente da pasta,
Alexandre Póvoa, irão traçar os próximos passos para que o time tente
reconquistar a hegemonia perdida este ano.
– O
Neto tem contrato até junho de 2018 e a intenção do Flamengo é mantê-lo . O
saldo do seu trabalho no clube desde 2012 é altamente positivo, o que não quer
dizer que ele e a comissão não errem, como a direção também erra. Quando se
perde ou quando se ganha, todos tem sua parcela de responsabilidade. O último
contrato dele era de dois anos e termina no próximo ano – explicou Póvoa.
Humberto é o único com contrato
Apesar
das constantes reformulações, o elenco do Flamengo sempre manteve uma espinha
dorsal nos últimos anos. Todas as equipes campeãs tinham Marcelinho, capitão do
time, Marquinhos, cestinha na temporada, e Olivinha, líder do grupo em
eficiência e rebotes. Todos os três, porém, têm seus contratos expirando em
junho. O último vínculo de Marquinhos era de dois anos. Olivinha já havia
assinado por dois, mas o último era de um ano. Póvoa preferiu não adiantar
nenhuma intenção do clube quanto à renovação dos contratos dos destaques do
ano.
Nesta
temporada, o Flamengo recebeu a chegada do armador Ricardo Fischer, que veio
após destaque pelo Bauru e seleção brasileira. Outro armador, Ronald Ramón
também havia renovado por um ano. Nomes como Rafael Mineiro, JP Batista,
Rollins, Pedrinho Rava e Lelê, ou seja, praticamente todo o grupo, também
precisam passar pela análise da diretoria. Apenas Humberto, que assinou por dois
anos em 2016, tem mais uma temporada a cumprir.
– Não
há nada ainda conversado. Na longa jornada de 5 NBBs e quatro títulos , apenas
três jogadores – Olivinha , Marcelinho e o Marquinhos , além da comissão
técnica – ficaram o tempo todo conosco. Sempre procuramos melhorar o time.
Tivemos diversos problemas de contusão nessa temporada e isso atrapalhou muito,
além da frustração com a não participação da Liga das Américas (por conta da
suspensão da CBB) , nossa principal meta do ano. Mas de forma alguma esses
fatores adversos podem servir como desculpa. Contratos de um ano são padrão,
dois são raros e três ou mais raríssimos. Não é novidade. Tem ligação com o
fato da dificuldade de garantirmos patrocínios longos – conta o dirigente
rubro-negro.

COMENTÁRIOS: