Conheça os 13 campeões estaduais, bastidores e curiosidades.

14
Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

JORGE
NICOLA
: O domingo foi de volta olímpica para 13 times em todo o Brasil. E as
conquistas estaduais acabaram marcadas pela presença de técnicos novatos em
cinco campeões que integram a Série A do futebol nacional. São eles:
Corinthians (Fábio Carille), Flamengo (Zé Ricardo), Atlético-MG (Roger
Machado), Coritiba (Pachequinho) e Vitória (Wesley Carvalho). A exceção foi a
Chapecoense, com Vagner Mancini, que já é treinador desde 1999. Por falar na
Chape, o time catarinense levantou a primeira taça após a tragédia aérea com
todo o elenco, no ano passado.

Abaixo,
a relação dos 13 campeões e muitas curiosidades e bastidores das decisões pelo
país, com destaque para o inédito título do Novo Hamburgo no Campeonato Gaúcho,
impedindo o Internacional de chegar à sétima taça consecutiva.
OS CAMPEÕES DO DOMINGO:
– AL:
CRB (30º título estadual)
– BA:
Vitória (29º)
– GO:
Goiás (27º)
– MG:
Atlético (44º)
– MS:
Corumbense (2º)
– MT:
Cuiabá (7º)
– PA:
Paysandu (47º)
– PB:
Botafogo (29º)
– PR:
Coritiba (38º)
– RJ:
Flamengo (34º)
– RS:
Novo Hamburgo (1º)
– SC: Chapecoense (6º)
– SP: Corinthians (28º)
CORINTHIANS: DE 4ª FORÇA A CAMPEÃO
A
primeira vez é inesquecível. Assim devem ter se sentido os 46.017 pagantes que
estiveram na Arena Corinthians para assistir ao empate em 1 a 1 com a Ponte
Preta – o Timão nunca havia levantado uma taça em sua nova casa, inaugurada em
2014. Romero fez o gol corintiano (o 18º dele no estádio) e o maior público da
história da arena em jogos da equipe ainda viu Marlon empatar. Os comandados de
Fábio Carille, tidos como a quarta força no início do Paulistão, tinham vencido
por 3 a 0 em Campinas e fecharam o Paulistão com a maior pontuação: 36. Agora,
o Timão tem seis taças a mais do que Santos e Palmeiras, os principais perseguidores
em São Paulo.
FLAMENGO: DÁ-LHE GUERREIRO
Contratado
a peso de ouro em 2015, o peruano Guerrero deu a primeira volta olímpica com a
camisa do Flamengo após a vitória, de virada, sobre o Fluminense por 2 a 1. E o
atacante voltou a ser decisivo marcando o gol do empate aos 39 minutos da etapa
final – a derrota parcial levaria a decisão para os pênaltis. Guerrero ainda
terminou o Carioca como artilheiro, com dez gols. Já o Fla assegurou sua 34ª
taça estadual, abrindo três em relação ao Fluminense, 12 para o Vasco e 14 em
cima do Botafogo. A final deste domingo também teve o maior público pagante do
país no ano (58.399), com direito a 68.165 presentes.
ATLÉTICO-MG: FIM DO JEJUM
Eram
dois longos anos sem vitória diante do grande rival. Mas o tabu se encerrou em
grande estilo, com o triunfo do Galo por 2 a 1 sobre o Cruzeiro, neste domingo,
no Independência – a Raposa havia vencido cinco vezes e empatado três nos oito
jogos desde 19 de abril de 2015. Robinho e Elias anotaram os gols do Galo, que
jogava por um empate; Ábila descontou. O clássico ainda marcou o recorde de
público do Independência graças aos 22.411 torcedores, 69 a mais do que outro
duelo dos gigantes mineiros em 2014. O Galo tem agora 44 taças, contra 36 do
Cruzeiro e 16 do América. Já Mano Menezes, técnico do rival, não levanta um
troféu desde 2009.
NOVO HAMBURGO: TÍTULO APÓS CEM ANOS
Fundado
há 106 anos, o Novo Hamburgo colocou fim a um dos maiores jejuns de título do
país ao bater o Internacional nos pênaltis e assegurar a conquista do
Campeonato Gaúcho. O Noia, como também é conhecido, garantiu o direito de dar
sua primeira volta olímpica neste domingo. E o título foi dos mais justos: a
equipe de Beto Campos havia sido dona da melhor campanha na 1ª fase. E
despachou Grêmio nas semifinais e Inter na decisão. Pior para o Colorado, que
desperdiçou a chance do hepta. O Noia ainda virou o primeiro clube do interior
a ganhar o Gaúcho desde 2000, quando o Caxias de Tite bateu o Grêmio na
decisão. É o 17º vencedor diferente em 97 edições.

COMENTÁRIOS: