Ex-rivais, Arão e Vaz agradecem carinho e título no Flamengo.

61
Rafael Vaz segurando taça de campeão carioca pelo Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

EXTRA
GLOBO
: Willian Arão e Rafael Vaz não tiveram medo de encarar as críticas das
torcidas de seus ex-clubes para jogar no rival Flamengo. Ao fazer o movimento
de troca, ouviram vaias e piadas. Mas a decisão foi premiada, agora, com o título
estadual pelo Flamengo.

No
caso do ex-vascaíno Rafael Vaz, este foi seu terceiro Estadual seguido, sendo
que, no último, havia saído de campo como o herói. Mas ele garante que o
conquistado pelo Flamengo teve um sabor especial.
— Sou
tricampeão! Estou muito feliz. São poucos jogadores que conseguem esse feito.
Tem sabor especial porque não completei nem um ano de clube e já tenho título.
Isso é muito importante. Este clube me acolheu muito bem.
Ao
trocar São Januário pela Gávea, Vaz passou a lidar com as provocações dos
vascaínos. Só que, ao invés de ser defendido pelos rubro-negros, ganhou a
desconfiança da nova torcida. Emocionado pela conquista, garantiu não se
importar com as críticas dos rubro-negros.
— A
torcida tem que cobrar. Jogar no Flamengo é isso. É cobrança diária. E o
jogador tem que estar acostumado. Mas claro que tenho que ter os pés no chão e
correr sempre com raça e vontade para honrar esta camisa.
A
troca feita por Willian Arão foi ainda mais marcante. Porque o volante não só
passou a ser perseguido pela torcida do Botafogo como virou pivô da rixa entre
os dois clubes, que dura até hoje. Ao conquistar o Estadual, ganhou mais um
motivo para achar que fez a escolha certa.

Graças a Deus estou fazendo um bom trabalho. O título coroa isso. Mas não estou
satisfeito, não. Quero mais — disse Arão, ainda no gramado do Maracanã. — É uma
sensação única. Só quem foi campeão pelo Flamengo sabe o que estou falando. É
único e maravihoso ver a torcida fazendo esta festa
O
volante ainda não havia conquistado um Estadual. Mas já havia chegado perto. Em
2015, ele foi vice-campeão pelo Botafogo. Perdeu a decisão justamente para o
Vasco, de Vaz. O que pesou a favor desta vez?
— O
que faz a diferença é o nosso trabalho. São os jogadores, a torcida… Tudo faz
a diferença. É o merecimento. Nós merecemos este título. Quando eu estava no
Botafogo, talvez nós não tívessemos lutado bastante ou jogado o suficiente para
sermos campeões. Porém, hoje não. Jogamos o suficiente. Fizemos tudo o que
tinha que ser feito e nos consagramos campeões.

COMENTÁRIOS: