Ferj termina o Carioca com lucro maior que o campeão Flamengo.

79
Eduardo Bandeira de Mello, Presidente do Flamengo, ao lado do troféu do Campeonato Carioca – Foto: Gilvan de Souza

CHUTE
CRUZADO
: O Campeonato Carioca chegou ao fim, o Flamengo levantou a taça pela
34a vez na história diante de um Maracanã lotado, mas ainda assim não conseguiu
o topo da arrecadação em bilheteria na competição. Quem celebrou essa conquista
foi a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj). Ao levar 10% da
renda bruta do último Fla-Flu, a Federação chegou a exatos R$ 1.537.340,50 por
meio de taxas arrecadadas em 48 partidas dos grandes clubes no torneio.

Campeão
no campo, o Flamengo teve de se contentar com o segundo lugar no quesito
arrecadação. No total, o clube faturou R$ 1.103.433,26 com as bilheterias de 17
jogos. O clube rubro-negro foi, também, quem mais contribuiu com a taxa Ferj:
R$ 1.185.684. Terceiro a arrecadar mais no Carioca, o vice-campeão Fluminense
embolsou R$ 327.242,77 na competição. Em seus 17 jogos, o valor da taxa Ferj
atingiu R$ 823.005,50. Importante ressaltar que para fins de contabilização
geral da taxa ao longo da competição, os valores acabam divididos ao meio nos
clássicos para evitar duplicidade.
Vasco
e Botafogo deixaram o Campeonato Carioca com prejuízo. O clube de São Januário
teve saldo negativo de R$ 579 mil. Já o Botafogo, contando apenas bilheterias e
não o aluguel de Engenhão para outras equipes, acabou com um déficit de R$ 1,8
milhão.
Na finalíssima, apenas 32% da renda vai
para dupla Fla-Flu
Assim
como no primeiro jogo da decisão do Campeonato Carioca, a última partida da
competição não foi nada animadora, em termos financeiros, para os finalistas.
Flamengo e Fluminense levaram pouco mais de R$ 1 milhão da renda bruta de R$
3,2 milhões. Houve, de novo, enormes gastos.
Além
da Taxa Ferj (R$ 313 mil), o aluguel do estádio (R$ 627 mil), o custo
operacional (R$ 452 mil), as chamadas “contas de consumo” (R$ 160 mil) e a
confecção e pré-venda de ingressos (R$ 92 mil) foram outros gastos vultosos. As
despesas chegaram a R$ 2,16 milhões.

COMENTÁRIOS: