Flamengo arrecada mais que Vasco e Fluminense somados.

62
Diretoria completa do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

RODRIGO
MATTOS
: As contas dos clubes do Rio mostram uma disparidade das receitas do
Flamengo em relação aos seus rivais. A agremiação rubro-negra arrecadou mais do
que Fluminense e Vasco juntos, e o triplo do Botafogo. É a constatação em cima
do levantamento da consultoria BDO Sports Managment sobre os balanços dos times
cariocas.

Ressalte-se
que as luvas da Globo do contrato do Brasileiro-2019 tiveram um peso para
aumentar a diferença entre o time rubro-negro e vascaínos e botafoguenses. Não
é o caso do Fluminense que também registrou como receitas suas luvas com a televisão.
No
total, o levantamento da BDO aponta que os quatro grandes do Rio arrecadaram R$
1.176,7 bilhão em 2016, um aumento de 36% em relação a 2015. Desse total, 43%
foram para os cofres do Flamengo com R$ 510,2 milhões, sendo R$ 100 milhões em
luvas da Globo a valor presente.
Para
se ter uma ideia, o Fluminense, segundo colocado, ficou com R$ 293 milhões, e
nem somado a renda do Vasco (terceiro) R$ 213,3 milhões atingiria o total
rubro-negro. Esse tipo de disparidade não é visto entre rivais de nenhum Estado
dos mais tradicionais como São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.
A
dívida dos times cariocas teve uma redução no total, com pequena queda de 3%,
segundo a BDO. Ficou em R$ 2,172 bilhões. 

”Depois de sete anos seguidos de
alta, o endividamento líquido dos quatro maiores clubes do Rio de Janeiro
apresentou redução nos últimos dois anos”, apontou o relatório da BDO.

Ainda
assim, os grandes do Rio têm uma débito maior do que os dos paulistas, e uma
arrecadação quase R$ 500 milhões menor. Só o Flamengo é capaz de fazer frente
aos rivais de São Paulo. Veja a situação detalhada de cada time:
Flamengo
O
clube carioca teve a maior arrecadação do país em 2016 com R$ 510 milhões
graças às luvas da TV Globo. Do total, 58% das receitas do clube vêm da televisão.
O registro desse bônus na Receita foi indicado pela Apfut (órgão regulador do
Profut) por não estar vinculado à vigência do contrato. Até o ano passado, o
conselho de contabilidade proibia esse tipo de registro em receitas.
Maior
devedor do país há três anos, o Flamengo reduziu sua dívida líquida para R$
460,6 milhões, com superávit de R$ 153 milhões. O clube da Gávea é o único do
Rio que tem débito inferior a sua receita anual. 

”Nos últimos dez anos, o
Flamengo sempre foi líder de receita no Estado”, aponta o relatório da BDO.

Fluminense
O
clube tricolor teve um salto nas suas receitas de R$ 180,3 milhões, em 2015,
para R$ 293,2 milhões em 2016. As luvas da Globo pelo Brasileiro-2019 foram de
R$ 80 milhões, e registradas como receita como no caso do Flamengo. Assim,
houve impacto nesse resultado. No tricolor, as receitas de televisão
representam 60% do total, e as transferências contribuíram com 18%.
Apesar
da boa arrecadação, o Fluminense teve um aumento no seu endividamento líquido
que passou de R$ 461 milhões para R$ 502 milhões, tornando-se o segundo maior
débito do Estado. Um resultado do superávit modesto do clube com R$ 8,1
milhões.
Vasco
Apesar
de segunda torcida do Estado, o Vasco teve receita de R$ 213 milhões. Há de
ressalvar que o clube não registrou luvas de contratos da Globo em suas rendas.
Ainda assim, tem uma preocupante dependência do dinheiro de televisão já que
78% das suas receitas têm essa origem. E o time arrecadou zero em venda de
direitos de jogadores.
Em
compensação, o clube teve uma redução de sua dívida chegando a R$ 456 milhões,
a menor do Rio de Janeiro. A queda no débito líquido foi de R$ 11 milhões. O
superávit vascaíno foi de R$ 11,9 milhões.
Botafogo
O
alvinegro da estrela solitária tem a pior situação financeira entre os grandes
do Rio. Sua arrecadação foi de R$ 160 milhões, sendo 63% de receitas de
televisão. Ganhos com patrocínio (6%) e transferências (6%) são bem baixos para
aliviar as contas.
A
dívida do Botafogo já era a mais alta entre os grandes do país e continuou a
subir: foi de R$ 730 milhões para R$ 750 milhões. Há dois fatores para isso:
juros sobre os débitos do clube e a falta de dinheiro para fechar no azul. O
clube alvinegro foi o único do Rio a fechar em déficit em 2016: R$ 9,2 milhões.

COMENTÁRIOS: