Flamengo é o maior campeão Carioca, também no século XXI.

86
Foto: Divulgação

LANCE:
Com o gol de Éverton, o Flamengo abriu vantagem por 1 a 0 na primeira partida
do Maracanã e está com a vantagem do empate para chegar ao seu título de número
34 (oitavo no século XXI). O Fluminense precisa vencer por dois ou mais gols
para faturar sua quarta conquista do Carioca neste século. Vitória tricolor por
um gol de diferença no tempo normal leva decisão para os pênaltis.

FLAMENGO – 2001
O
primeiro Carioca do século XXI trouxe um sabor bem especial para a torcida do
Flamengo. A equipe perdera por 2 a 1 no jogo de ida para o Vasco, e precisava
vencer por dois ou mais gols no jogo de volta. Em jogo equilibrado no Maracanã,
o Rubro-Negro pressionava até, aos 43 minutos, garantir o triunfo por 3 a 1 em
cobrança magistral de falta de Petkovic.
FLUMINENSE – 2002
Em
Carioca com regulamento confuso e esvaziado pela disputa simultânea do Torneio
Rio-São Paulo, o Fluminense foi a única equipe de ponta a sobreviver. Coube ao
Tricolor das Laranjeiras encarar um Americano que vinha com tudo (e vencera as
Taças GB e Rio). Mas o Cano não teve chances no Maraca: vitórias por 2 a 0 e 3
a 1 do Fluminense.
VASCO – 2003
O Rio
de Janeiro foi dominado pela Cruz de Malta no Carioca de 2003. Regido por
Marcelinho Carioca e com nomes como Marques e Valdir no elenco, a equipe de
Antônio Lopes venceu o jogo de ida por 2 a 1. Na volta, Léo Lima abriu o placar
e o Tricolor igualou com Ademilson. Porém, na etapa final, Léo Lima deu passe
de letra para Cadu, que somente serviu um Souza que estufou a rede.
FLAMENGO – 2004
No
reencontro de Flamengo e Vasco após o histórico tri rubro-negro, novamente os
vascaínos não tiveram vez. Logo na partida de ida, o Fla abriu 2 a 1. Mesmo com
o revés, o presidente cruz-maltino, Eurico Miranda, garantiu que tinha
“comprado o chope para a vitória”. Valdir abriu o placar para o
Vasco, mas um Jean inspirado marcar três vezes e decretar o 3 a 1 do título
flamenguista.
FLUMINENSE – 2005
Novamente,
uma sensação ganhou os holofotes do Rio de Janeiro: o Volta Redonda desafiou o
Fluminense. A equipe da Cidade do Aço abriu 4 a 3 na ida em pleno Maracanã. Em
jogo com contornos de drama, o Tricolor das Laranjeiras vencia por 2 a 1 até os
47 minutos, quando a bola desviou na cabeça de Antônio Carlos e garantiu o 3 a
1 com título. Foi a mais recente vez de uma “virada” em uma final.
Com o Fluminense, e com Abel Braga…
BOTAFOGO – 2006
Na
edição seguinte, o Botafogo foi o outro clube tradicional carioca a ser
desafiado por uma “surpresa” em uma decisão do Carioca. Mas o
Madureira, que fora avassalador, perdeu fôlego nas duas partidas do Maracanã.
Os botafoguenses abriram 2 a 0 de vantagem. O Madura chegou a dar sua graça no
segundo jogo, mas perdeu por 3 a 1.
FLAMENGO – 2007
Uma
disputa acirrada e muita polêmica marcaram o reencontro de Flamengo e Botafogo
com uma final de Campeonato Carioca. Após um 2 a 2 na partida de ida, o jogo
decisivo estava em 2 a 2 quando, nos acréscimos, Dodô estufou a rede, mas o gol
foi anulado de maneira ilegal. Nas cobranças de pênalti, o Rubro-Negro se
impôs, garantiu o 4 a 2 e o caneco.
FLAMENGO – 2008
No ano
seguinte, o Flamengo não deu chances para o Botafogo tentar se impor na final
do Campeonato Carioca. No jogo de ida, Obina decretou o triunfo por 1 a 0.
Lúcio Flávio chegou a abrir o placar no jogo de volta, mas Obina marcou duas
vezes e Diego Tardelli sacramentou o 3 a 1 e o bicampeonato do Rubro-Negro.
FLAMENGO – 2009
O
embate entre Flamengo e Botafogo teve um terceiro ato em 2009, e com novo
requinte de dramaticidade. Na ida, Juan deixou o Fla na frente, o Glorioso
virou com Juninho e Reinaldo, e Williams decretou o 2 a 2. No segundo jogo,
Kléberson abriu dois gols de vantagem para o Flamengo. Juninho e Túlio Souza
garantiram o 2 a 2 e a decisão nos pênaltis. Mas, pela terceira vez, os
flamenguistas se impuseram, graças ao 4 a 2 nos pênaltis.
BOTAFOGO – 2010
A
edição de 2010 nem precisou de uma decisão para conhecer o campeão. Após ter
vencido a Taça Guanabara, o Botafogo repetiu a dose na Taça Rio, e com um sabor
de vingança. Com gol de pênalti de Herrera e cavadinha na marca de cal de Loco
Abreu, veio o 2 a 1 do Glorioso sobre o Flamengo.
FLAMENGO – 2011
No ano
de 2011, foi a vez do Flamengo se sagrar campeão sem necessidade dos dois jogos
da final. Após vencer o Boavista na Taça Guanabara, a equipe segurou o 0 a 0 com
o Vasco na decisão da Taça Rio. Na marca de cal, o Rubro-Negro garantiu um 3 a
1 e o título carioca  direto da equipe de
Ronaldinho Gaúcho, Thiago Neves e Léo Moura.
FLUMINENSE – 2012
O Rio
de Janeiro foi tricolor no ano de 2012. Renato até abriu o placar para o
Botafogo na partida de ida, mas o Fluminense mostrou-se impiedoso, e encaminhou
o título com gols de Fred, Rafael Sóbis (duas vezes) e Marcos Júnior, que
confirmou o 4 a 1. No jogo de volta, o triunfo por 1 a 0, com gol de Rafael
Moura, definiu o título carioca.
BOTAFOGO – 2013
O Rio
de Janeiro voltou a ser botafoguense já em 2013. Novamente com uma campanha
avassaladora, a equipe foi campeã da Taça Guanabara (superando o Vasco) e
sacramentou o título com uma vitória por 1 a 0 sobre o Fluminense, no Raulino
de Oliveira. O Fogão tem três títulos cariocas no século XXI.
FLAMENGO – 2014
O
reencontro de Flamengo e Vasco na final do Carioca foi apimentado por duas
batalhas intensas em 2014. No jogo de ida, Rodrigo abriu o placar (em lance no
qual Felipe reclamou de falta),  mas
Paulinho  garantiu o 1 a 1. Na segunda
partida, o Vasco vencia com um gol de pênalti de Douglas até o finzinho, quando
Márcio Araújo, em posição irregular, decretou 1 a 1 que dava o título ao
rubro-negro (que tinha vantagem). Teve até um “roubado é mais
gostoso…” no meio.
VASCO – 2015
Foram
12 anos de expectativa no Campeonato Carioca (o alento havia sido a Copa do
Brasil, em 2011). Mas, em 2015, a torcida do Vasco pôde soltar o grito de
“é campeão” no Rio de Janeiro. Rafael Silva decretou a vantagem por 1
a 0 no finzinho do jogo de ida. Na volta, Rafael Silva abriu o placar, e Diego
Jardel igualou. Mas Gilberto levou o título para a Colina.
VASCO – 2016
Com
campanha irretocável e liderando de ponta a ponta, o Vasco pavimentou o
bicampeonato carioca até marcar o reencontro com o Botafogo na final. Jorge
Henrique abriu a vantagem por 1 a 0 na ida. No jogo de volta, Leandrinho deixou
os botafoguenses em vantagem. Mas, logo depois, Rafael Vaz subu mais do que os
adversários e decretou o empate por 1 a 1 e o bicampeonato do clube. O
Cruz-Maltino tem três títulos no século XXI.

COMENTÁRIOS: