Flamengo, podemos mais.

38
Torcida do Flamengo formando a sigla “CRF” – Foto: Gilvan de Souza

FALANDO DE FLAMENGO: Por Henrique Dias

Não
vou ser hipócrita em dizer que não fiquei feliz com o 34º título estadual do
Mais Querido, conquistado neste domingo (07), com a vitória (2 a 1), de virada,
sobre o Fluminense, no Maracanã. Porém, valeu muito mais pela rivalidade e pelo
peso que tiramos das costas, afinal não levantávamos um caneco desde 2014, do
que pelo campeonato em si.
Este
ano, diga-se de passagem, a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (FERJ) nos
presenteou com uma das fórmulas de disputa mais esdrúxulas dos últimos tempos.
Mas, enfim, acabou. E da melhor maneira para o Flamengo, que foi campeão
invicto e, de quebra, ainda teve Paolo Guerrero como artilheiro da competição,
com dez gols.
Embora,
o Carioca não seja parâmetro para muita coisa, vale lembrar que o Vasco ficou
com o título em 2015 e acabou rebaixado no Brasileirão ao final do mesmo ano,
fica a nítida impressão de que podemos muito mais nessa temporada.
Se
levarmos em consideração que jogamos sem o Diego nos dois confrontos da final,
que ainda temos o Conca para estrear, e que outros jogadores como Donatti,
Thiago Santos e, até mesmo o Ederson, se recuperam de contusão, podemos e
devemos acreditar que vem mais por aí em 2017. Isso sem falar que novas
contratações serão feitas na janela de transferências do meio do ano.
Então,
que venham a Libertadores, o Brasileiro e a Copa do Brasil, porque a torcida
quer mais, e porque esse time pode nos dar muito mais do que um simples
Campeonato Estadual.
RÉVER
Considero
primordial a renovação do empréstimo do nosso capitão, pelo menos até o final
deste ano, junto ao Internacional (RS). Seu atual contrato com o Rubro-negro se
encerra no próximo dia 30 de junho.
ZÉ RICARDO

critiquei nosso treinador em alguns textos aqui do Falando de Flamengo, mas,
nos últimos três jogos, suas decisões se mostraram bastante acertadas. A única
que continuo sem entender, mesmo com todos os desfalques, é a insistência no
Gabriel, que quando não começa jogando, entra no decorrer das partidas. De
resto, parabéns ao ZR pelo seu primeiro título com os profissionais.

COMENTÁRIOS: