Flamengo recusou propostas de clubes brasileiros por Everton.

54
Gilvan de Souza / Flamengo

LANCE:
Apelidado de motorzinho do Flamengo, o meia Éverton vive um momento especial no
Rubro-Negro. Mesmo num elenco cheio de jogadores renomados, o camisa 22
conquistou seu espaço e, atualmente, é uma das principais armas no esquema de
Zé Ricardo. Em entrevista ao LANCE!, ele não demonstrou vaidade ao falar sobre
a luta para se manter na equipe. Em breve, Ederson e Conca estarão à
disposição, acirrando ainda mais a concorrência pelas vagas no setor ofensivo,
que ainda pode ter a chegada do xará Everton Ribeiro no segundo semestre.


Espero que possa entrar neste time dos sonhos quando chegarem mais contratações
(risos). Sei da minha importância para o time. Sou identificado com todos no
clube, sinto-me em casa e tranquilo, sei que a competição na frente é muito
grande, temos grandes jogadores – comenta o atleta, que considera-se um grande
jogador e não se mostra intimidado pela competição.
– Não
é à toa que estou vestindo uma das maiores camisas do Brasil, senão a maior.
Ninguém vai jogar no Flamengo quatro ou cinco temporadas se não tiver
qualidade. É um time de pressão enorme, muito grande, tenho certeza de que
também tenho uma capacidade grande – lembra.
Éverton
teve papel importante na conquista do título Carioca, marcando o gol da vitória
no primeiro jogo da decisão. Agora, ele vislumbra outras taças, sendo uma delas
especial.
– Saiu
um peso grande começar o ano ganhando um título, é importante, dá
tranquilidade. Temos um elenco grande, que nos dá condição de conquistar outros
títulos. O Flamengo está no caminho certo. A Libertadores é um sonho nosso e do
torcedor. Há muito tempo que o Flamengo não ganha (1981). Vamos lutar por este
título também – afirma.
MENTOR AJUDA NO DIA A DIA
Identificado
com o Flamengo, Éverton já tem 213 jogos somados em duas passagens pelo clube.
Hoje aos 28 anos, ele sonha um dia ser lembrado pela torcida, quando encerrar a
carreira, assim como o gerente de futebol Mozer, que é uma espécie de mentor.

Quando parar, quero olhar para trás e ver que fui bem no Flamengo. Tenho
certeza de que ainda virá um grande título para coroar isso tudo. É legal ficar
marcado na história do clube. Hoje, olho o Mozer, que é um exemplo para todos
nós (jogadores), conquistou tudo no Flamengo. Ele sempre me fala: ‘Podem passar
anos e anos que você estará na história…’. Tenho este exemplo. Ele fica nos
ajudando, dando confiança. É um vencedor, é bom estar perto dessas pessoas –
conta.
CAMPEÃO TAMBÉM NO VIDEOGAME
No
início do ano, Éverton ganhou um curto torneio amador de um game de futebol
disputado entre os jogadores do Flamengo. A brincadeira é um hobby do jogador
nos momentos de lazer, mas ele diz que não chega a ser um craque com o
controle.
– Eu
até jogo, mas não sou muito bom, é que os caras são muito ruins mesmo (risos),
entre os ruins consegui me destacar. Fui campeão, mas não sou um grande
jogador, sei uma coisinha ou outra – conta, bem-humorado.
MEIA AGRADECE POR CONFIANÇA EM MOMENTO DE
ESPECULAÇÕES
Éverton
renovou contrato com o Flamengo recentemente e ampliou seu vínculo com o clube
até 2019. No entanto, no ano passado, houve especulações de que ele poderia reforçar
clubes de São Paulo, como Corinthians e Palmeiras. Hoje, ele agradece ao
Rubro-Negro por ter permanecido.
– Em
2015, teve uma proposta da China, chegou forte, mas o Flamengo viu que não era
hora de me vender. No passado, também houve especulação forte de dois clubes do
país, deve ter chegado algo, mas o Flamengo decidiu pela minha permanência. O
clube confiou em mim quando eu estava machucado. Fiquei muito feliz do Flamengo
falar: ‘Everton, você é importante, quero que você fique’. Teve, sim (propostas),
mas felizmente eu fiquei – lembra.
BATE-BOLA
COM ÉVERTON, MEIA DO FLAMENGO:
Como encara o apelido de motorzinho?
ÉVERTON:
‘É engraçado. No Atlético-PR, eu também tinha este apelido. Fico feliz. Ali na
frente você tem que movimentar muito. Se você ficar só aberto na esquerda, não
joga, o lateral marca bem. É legal, motorzinho pode ficar também pro Márcio
Araújo, que está jogando muito. Ele rouba a bola com muita facilidade também no
treino.’
Sonha em chegar à Seleção Brasileira?
ÉVERTON:
‘Penso primeiro aqui no Flamengo. Se conquistarmos títulos, vão acabar olhando
para o Flamengo, como já olharam. Diego, Arão e Muralha foram convocados. Se eu
fizer as coisas bem aqui, uma hora ou outra vai pintar a oportunidade.’
Sente-se em casa no Flamengo?
ÉVERTON:
‘Sim, em casa. Já passei de tudo aqui no clube, porém foram mais momentos bons
do que ruins, sou bem identificado com o Flamengo. Fico muito contente de
vestir essa camisa e de ter renovado, tenho certeza de que será um ano especial
para todos aqui’
A torcida do Flamengo realmente faz a
diferença? Dá para sentir em campo?
ÉVERTON:
‘Faz a diferença total. A torcida do Flamengo é especial, apoia onde você vai
jogar e no Maracanã a festa é total.’
Você vem demonstrando um bom entrosamento
com os peruanos Trauco e Guerrero. Por que as coisas estão dando tão certo?
ÉVERTON:
‘Trauco foi uma surpresa, é um jogador de qualidade enorme. Ele joga de lateral
ou meia, é inteligente, habilidoso e busca sempre o passe. O entrosamento com
ele é fácil. Renê também fez uma partida muito contra o Fluminense. Guerrero é
o melhor centroavante do Brasil, sem dúvidas. Segurar a bola como ele faz é
difícil. Nós já sabemos disso, é fácil fazer o “um, dois” com ele. É
um jogador que tem uma facilidade para dominar a bola no peito que ninguém tem,
é um craque.’
Para finalizar, qual recado gostaria de
deixar para a torcida rubro-negra?
Éverton:
‘Acreditem no time como vem acreditando, nos apoiem. Eles estão de parabéns por
tudo o que têm feito, tenho certeza de que vamos dar um grande título a eles.’

COMENTÁRIOS: