Flamengo tem até hoje para confirmar Arena da Ilha contra Atlético.

35
Flamengo está quase concluindo obras na Arena da Ilha – Foto: Yuri Guimaraes

GLOBO
ESPORTE
: A demora em reinaugurar o agora rubro-negro Estádio Luso-Brasileiro
causa apreensão na torcida do Flamengo. O clube desejava ter a arena pronta em
março e disponibilizá-la para a fase de grupos da Libertadores, mas não
conseguiu. Espera-se agora que o jogo de estreia aconteça na próxima
quarta-feira, quando o Fla inicia sua caminhada na Copa do Brasil, às 19h30,
contra o Atlético-GO. Após a vitória por 2 a 1 sobre a Universidad Católica, na
quarta-feira, o presidente Eduardo Bandeira de Mello chegou até a confirmar o
duelo para o campo da Portuguesa, mas a CBF ainda não oficializou isso – em
contrapartida, confirmou já nesta quinta-feira que o primeiro compromisso pelo
Brasileiro, dia 13, contra o Atlético-MG, será realizado no Maracanã. O prazo
para definir tal pendência se encerra nesta sexta-feira.

Na
quinta-feira, houve uma inspeção feita pela CBF no local. Trata-se de uma
visita técnica em que os inspetores da unidade fazem medições, conferem
vestiários e as condições da área de visitantes. Para a liberação do estádio,
ainda há a necessidade da obtenção de pelo menos três laudos importantes: do
Gepe (Grupamento Especial de Policiamento em Estádios), dos Bombeiros e da
Vigilância Sanitária – confira exigências feitas pela CBF no fim da matéria.
Maracanã
é a alternativa em caso de veto ao Luso-Brasileiro
Se não
consegui-los, o Flamengo tem como alternativa imediata o Maracanã. A definição
tem de sair até esta sexta-feira pela necessidade da abertura da venda de
ingressos.
No
clube, o discurso é de otimismo e contrário a pressões nos órgãos responsáveis
pela emissão de alvarás liberatórios. Tal postura é pautada no processo de
liberação do Maracanã para as partidas contra Corinthians, no ano passado, e
San Lorenzo e Atlético-PR, estes em 2017.
Confira
exigências feitas pela CBF para a realização de um jogo num estádio:
– Projeto
executivo aprovado e registrado
– Assinatura
e recolhimento de ART do(s) responsável(is) pelo projeto
– Verificação
da procedência do material metálico a ser instalado (carga de resistência, tipo
de metal, garantia do fabricante e/ou fornecedor, etc.)
– Projeção
de manutenção e avaliação das estruturas durante a temporada
– Acomodações
para o público devido a ampliação (bilheterias, catracas eletrônicas, sistema
de monitoramento de câmera (CFTV), sistema som, placar eletrônico, banheiros
masculinos, banheiros femininos, banheiros para PCD, bares, lanchonetes,
sinalização interna e externa, luzes de emergência, gerador de emergência,
sistema de iluminação para o campo, espaço reservado para torcida visitante,
entre outros)
– As
arquibancadas provisórias deverão ser necessariamente objeto de Laudo de
Estabilidade Estrutural, além dos Laudos Técnicos de Estádios exigidos pela Lei
nº 10.671/0323 e Portaria nº 290/1524 do Ministério do Esporte.
– A
arquibancada provisória deverá estar totalmente concluída e disponível para
inspeção a tempo de permitir que seja inspecionada pelos técnicos competentes,
quando então serão emitidos os laudos técnicos correspondentes, os quais deverão
ser recebidos pela DCO em até trinta (30) dias antes da data prevista para a
utilização do estádio.
– Laudo
de Segurança (Polícia Militar)
– Laudo
de Prevenção e Combate a Incêndio e Pânico (Corpo de Bombeiros)
– Laudo
de Condições Sanitárias e de Higiene (Vigilância Sanitária)
– Laudo
de Vistoria de Engenharia, acessibilidade e conforto
– Laudo
de Estabilidade Estrutural

COMENTÁRIOS: