Flamengo, tua glória é lutar!

23
Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

FALANDO DE FLAMENGO: Por Thiago Nascimento

Olá
Campeões!
Finalmente
o momento chegou. Após três anos consecutivos sem levantar um caneco sequer, o
Flamengo conquistou o título de Campeão Estadual de futebol pela trigésima
quarta vez.
O
grito de “é campeão!!” que estava preso na garganta de torcedores(as) de toda a
Nação Rubro Negra, enfim saiu. E diga-se de passagem, o grito saiu com muita
força. A prova inconteste de tal fato, foi a presença em peso da galera
vermelha e preta que lotou o Maracanã.
E
mesmo sendo um feito que só a torcida do Flamengo consegue realizar, é sempre
surpreendente e maravilhoso presenciar o estádio lotado. A cada jogo é uma
festa diferente. Por isso: palmas para a Nação.
Apesar
da Fla-Internet disseminar posts com os seguintes caracteres:

“Carioca não vale nada”.
– “Eu
não comemoro Carioca”.
– “Se
perder eu não ligo”.
Foi
possível observar que tal sentimento só é sentido por menos de 0,01% da
gigantesca torcida do Flamengo. Pois o torcedorraiz comemorou pra cacete, seja
no estádio ou fora dele. E esse torcedor raiz que é alma do Flamengo. Esse tipo
de torcedor jamais se apegará a esse discurso mesquinho e surreal. Pois esse
tipo de sentimento não consta no DNA do Clube de Regatas do Flamengo.
No
campo e bola, podemos dizer que o título foi muito bem entregue. Afinal de
contas, o título foi conquistado pelo clube que possuía o melhor elenco do
campeonato. Logo, a sala de troféus da Gávea é o melhor local para a taça dessa
edição do Campeonato Carioca repousar em paz.
O
primeiro objetivo foi conquistado. Essa taça é a tranquilidade que o melhor
elenco do Brasil precisava para se manter firme em busca da conquista do
Campeonato Brasileiro e/ou Libertadores.
O vôo
do urubu em 2017 têm que ser alto. E disso, todos sabem. Desde o técnico,
jogadores e principalmente: a torcida.
Por
ora, temos apenas que comemorar. Afinal de contas, não é todo que podemos
gritar a plenos pulmões, que somos campeões.
Saudações
Rubro Negras.

COMENTÁRIOS: