Flamengo x Fluminense: Trauco e Léo são coadjuvantes de luxo.

21
Montagem/UOL Esporte

UOL: Embora
estejam longe dos holofotes destinados a nomes como Guerrero e Wellington, os
laterais-esquerdo Trauco e Léo têm sido peças fundamentais da dupla Fla-Flu no
Carioca. Titulares de duas equipes que têm como ponto forte os jogos pelos
lados, eles exibem números que só reforçam sua importância para os finalistas.

Contratado
este ano, o peruano é o líder rubro-negro nos quesitos dribles e assistências,
de acordo com o “Footstats”. Ele também desponta nos cruzamentos
certos (5º), lançamentos (3º) e desarmes (4º).
A
confiança de Zé Ricardo no camisa 13 é tamanha que ele já foi escalado até como
“ponta”. Contra o Atlético-PR, pela Libertadores, ele atuou mais
avançado e Renê ocupou seu lugar na lateral.
Pelo
lado tricolor, Léo, que pediu para não ter mais o apelido “Pelé”
incorporado ao nome, é cria de Xerém. Sem muita badalação, estreou pelo
Fluminense em 2015 e se firmou no ano seguinte. Atualmente, ele é o único
jogador de origem para a posição, o que aumenta ainda mais a sua relevância para
o técnico Abel Braga. Em sua ausência, Léo é substituído por Marquinhos
Calazans, meia improvisado na posição.
Uma
das boas armas ofensivas do time tricolor, o jovem não tem decepcionado no
Carioca e, assim como seu concorrente rubro-negro, exibe números que justificam
a sua condição. Até o momento, o lateral é o que tem o 3º melhor índice em
desarmes, e é o 5º maior driblador do elenco.
Em um
jogo predestinado a abrir espaço para heróis pouco prováveis, Trauco e Léo
aparecem como boas armas para a batalha final pelo título.

COMENTÁRIOS: