Jovens vivem emoção da 1ª final entre Flamengo e Fluminense.

19

UOL: O
escritor Nelson Rodrigues afirmou que o “Fla-Flu começou 40 minutos antes
do nada”. E também pareceu uma eternidade o tempo que levou até que
rubro-negros e tricolores se encontrassem em uma decisão. Após a final de 1995,
os rivais voltam a medir forças depois de Renato Gaúcho escrever o nome na
história com o gol de barriga.
De lá
para cá, outros clássicos decidiram o Campeonato Carioca, mas chegou a vez da
“Geração 95” viver a experiência de um Fla-Flu que vale a taça. O UOL
Esporte levou ao Maracanã os estudantes Matheus Paredes e Carol Frontin, ambos
nascidos em 1995 e que ainda não viram uma final entre os rivais centenários.
Entre
brincadeiras e provocações, a dupla, que vai acompanhar a partida deste domingo
(7), às 16h (de Brasília), no Maracanã, reviveu o confronto. As memórias transmitidas
por familiares e as pesquisas por vídeos na Internet fizeram com que Matheus e
Carol sentissem um pouco da atmosfera do Maracanã naquele dia.
“Foi
um ano glorioso para o Fluminense. Eu fico muito emocionada com o lance em que
o Ailton cruza para o Renato. Graças ao destino, a bola bateu na barriga e
fomos campeões com uma jogada histórica. Meu pai e meu tio estavam no jogo de
1995. O tio me conta que a torcida do Flamengo já estava comemorando. Tinha
gente que dava como certo até o chope que eles tinham apostado. Aquele gol
maravilhoso mudou tudo isso”, contou a tricolor Carol, estudante de
Direito.

Se as
“lembranças” de Carol são doces, Matheus prefere não dar muita bola
para aquele 3 a 2 que marcou negativamente os rubro-negros. Com a vantagem do
empate, ele crê que o Flamengo devolverá o revés de 25 de junho de 1995.
“Acho
que o gol do Renato Gaúcho foi de mão. O chute veio todo errado para a área e
ele aproveitou a mão para decidir o jogo. Não tenho dúvidas de que seremos
campeões. É a hora de tirar essa espinha de 95 da garganta. O resto é história.
Será 2 a 0 Flamengo, com dois gols do Guerrero. Não tem sofrimento,
acabou”, afirmou ele, que cursa Ciências Contábeis.
Ninguém
sabe ao certo quem sairá feliz do Maracanã. A única garantia é que mais um
capítulo para a eternidade será escrito. E, desta vez, a “Geração 95”
terá o que contar visto pelos próprios olhos.

COMENTÁRIOS: