No San Lorenzo, Meyinsse revela torcida para o Flamengo.

5
Foto: Divulgação

GLOBO
ESPORTE
: “Orgulho da nação”, como a torcida o chama, o basquete do
Flamengo tem produzido ídolos incessantemente. O americano Jerome Meyinsse é um
dos jogadores que mais se identificaram com o vermelho e preto recentemente.
Mas nesta quarta-feira, às 21h45, o atual clube do Grandão, apelido que ganhou
no Rio, será adversário rubro-negro no futebol, pelo Grupo 4 da Copa
Libertadores. Meyinsse ficará no muro? Não revela por quem torcerá, em respeito
às cores que defende atualmente, mas entrega fácil.

– Eu
não posso falar publicamente para quem vou torcer, mas quem me conhece
realmente já sabe – afirmou o jogador de 28 anos, campeão de praticamente tudo
pelo Flamengo.
Carne argentina x Açaí
Extravagante
e engraçado, o ex-camisa 55 do Flamengo recebeu um açaí no início da
reportagem, que Olivinha, via Globoesporte.com, enviou para o amigo.
Explica-se: no Rio, o gringo criou um fascínio pela fruta e, combinando à sua
paixão pelo clube, criou a “Flaçaí”.
Disse
que sua comida preferida na Argentina é a carne, mas quando perguntado sobre o
alimento número 1 de seu coração, Meyinsse não titubeia.
– Essa
pergunta é fácil: o Açaí. A carne aqui é maravilhosa, melhor do que o Brasil.
As pessoas vão ficar irritadas que eu fale isso, mas é verdade (risos). A massa
também é muito boa.
Campeão
carioca (três vezes), do NBB (três), da Liga das Américas e do Mundial pelo
Flamengo, Grandão recebeu o GloboEsporte.com no moderno ginásio Polideportivo
Roberto Pando, no bairro de Boedo, em Buenos Aires. Confira abaixo:
O que este açaí que Olivinha te mandou
traz de lembranças?
Lembro
do Rio e dos bons momentos que passei lá e dos vídeos que fiz com meu amor
açaí.
Do que sente mais falta do Flamengo?
Sinto
muita falta dos meus companheiros e comissão técnica. Passamos muito tempo junto
nesses três anos. Via essas pessoas todo dia. E também da torcida, eles sabem
que são diferenciados. Todo dia me mandam mensagens, o que dá para diminuir a
saudade.
E do Brasil?
Ir a
Maracanã. Faz tempo que não vou a um jogo de futebol. Sinto falta disso,
daquela energia.
Da
alma e do espírito que o Brasil tem. Quando fui neste fim de semana ao Brasil,
eu fui num pagode para sentir essa vida que tem lá, que é especial. Sinto muita
falta disso.
Qual o jogo mais especial pelo Flamengo?
O
Mundial foi mais inesquecível e mais importante, mas também a Liga das América,
porque jogamos no Maracanãzinho. Nesse estádio, que é um pouco menor do que a
Arena HSBC, acho que foi o jogo em que mais senti a energia da torcida e a
paixão. Foi um jogo maravilhoso.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here