PVC: Flamengo e Atlético-MG salvam a noite de Libertadores.

22
Miguel Trauco e Rodinei comemorando gol do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

PVC: O
Atlético todo mesclado, com Otero e Cazares, sem Fred e Robinho, teve das
melhores atuações do ano. Não pelas ausências de suas estrelas, mas pela falta
de futebol do rival. O Sport Boys não é parâmetro, mas o Galo chegará à decisão
do Campeonato Mineiro embalado e confiante por uma vitória convincente por 5 x
1.

Mas
numa noite de tropeços como a derrota do Grêmio para o Iquique, do Atlético
Paranaense contra o San Lorenzo ou a atuação irregular do Palmeiras em
Cochabamba, o Flamengo foi quem mais deixou a noite feliz.
No
primeiro tempo, nove finalizações. Superioridade total até os 15 minutos do
primeiro tempo, com o caminho livre do lado direito. À medida em que o tempo
passou, o Flamengo diminuiu o ritmo. Faltava aproximação e só Guerrero
finalizava: foram nove na primeira etapa. Era o Clube de Regatas do Guerrero.

No
segundo tempo, Rodinei entrou para fazer parceria com Pará pelo lado direito,
Rodinei como ponta, Pará como lateral. Melhorou. Guerrero continuou chamando o
jogo em seu pé. Sofreu falta e ele mesmo cobrou. No rebote, Rodinei marcou.
Veio o
vacilo de Rafael Vaz e o gol de cabeça de Santiago Silva.
E
Guerrero salvou em sua 11ª finalização. Marcou seu 11º gol. Dominou, virou, e
marcou no canto direito de Toselli.
Guerrero
foi o melhor em campo, mas ponto também para Márcio Araújo, que roubou sete
bolas e teve 95% de acerto nos passes.
Trauco
marcou o terceiro gol. Só não garantiu a classificação, porque o Atlético
Paranaense não ajudou. Ainda precisa de um empate em Buenos Aires para
confirmar a vaga nas oitavas-de-final.

COMENTÁRIOS: