Recordes e curiosidades da 1ª rodada do Brasileirão 2017.

105
Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

FUTEBOL
EM NÚMEROS
: O Campeonato Brasileiro de 2017 começou com uma rodada bem agitada,
com muitos gols, recordes, bons público, algumas surpresas, novidades e curiosidades.

Gols
Em 10
jogos, foram marcados 33 gols, média de 3,3 por partida. A segunda maior desde
2006, quando o campeonato passou a ser disputado por 20 clubes na era dos
pontos corridos – apenas a 1ª rodada de 2007 teve mais gols (3,9).
Média de gols da 1ª rodada do Brasileirão
desde 2006:

Público
Nos 10
primeiros jogos do Brasileirão de 2017, a média de público foi de 16 909
torcedores por partida, 34% maior do que a rodada de abertura do campeonato de
2016 (12 614). E desde 2006, quando a Série A passou a ter 20 times, essa foi a
maior média para uma rodada de abertura.
Média de público da 1ª rodada do
Brasileirão desde 2006:

Cartões
A 1ª
rodada do Brasileirão de 2017 foi a com menos cartões amarelos desde 2006 (34)
e teve apenas uma expulsão – Marcão, do Atlético-PR. Somente em 2011 uma rodada
de estreia não teve expulsões.
Cartões na 1ª rodada do Brasileirão desde
2006:

Visitantes em baixa:
Dos 10
jogos da 1ª rodada, os mandantes venceram 7 partidas e outras 3 terminaram
empatas. Dos visitantes, apenas Chapecoense, Atlético-MG e Vitória pontuaram.
Além disso, os times da casa marcaram 26 gols contra apenas 7 dos visitantes.
Recordes e curiosidades das partidas:
Flamengo 1 x 1 Atlético-MG
No
Maracanã, o jogo recebeu o maior público da rodada (42 575). O jogo também
contou com a estreia do atacante Vinícius Júnior, o jogador mais novo da Série
A de 2017 (16 anos e 9 meses). Além disso, o volante Elias marcou o gol de
empate contra o seu ex-clube. Além de Elias, apenas Edigar Junior, do Bahia,
marcou sobre seu ex-clube (Atlético-PR) na rodada. Já o Galo, foi o time com a
maior média de idade (30,1 anos) da rodada. O Atlético-PR foi o mais novo
(24,8). E Fábio Santos, lateral esquerdo do Galo, entrou em campo pelo 14ª
edição seguida do Brasileiro, sendo o único a jogar em todas de 2003 a 2017.
Diego Souza, hoje no Sport, pode repetir o feito ainda esse ano.
Corinthians 1 x 1 Chapecoense
O
Corinthians segue sem perder para a Chapecoense em casa em Brasileiros (5
vitórias e 2 empates). Porém, empatou seu segundo jogo contra o time
catarinense na Arena Corinthians (a outra havia sido em 2014). Já o atacante
Jô, que fez o primeiro gol do jogo, voltar a marcar pelo Corinthians em
Brasileiros. Em 2003, há quase 14 anos, o atacante, com então apenas 16 anos,
se tornou o mais jovem a marcar um gol pelo clube na história da competição
(fez um gol na vitória por 3 x 1 sobre o Inter dia 24/8/2003). Já seu último
gol pelo Corinthians em Brasileiros foi no dia 28/8/2005, no empate por 3 x 3
com o Botafogo.
Fluminense 3 x 2 Santos
Depois
de perder os últimos três confrontos em Brasileiros para o rival paulista, o
Flu voltou a vencer. Foi a 20ª vitória do tricolor sobre o Santos como mandante
em 31 jogos – o Peixe ganhou oito.
Bahia 6 x 2 Atlético-PR
Maior
goleada do Bahia na era dos pontos corridos. A última vitória elástica do
tricolor baiano havia sido o 4 x 0 sobre o Vasco em 2012, fora de casa. Já a maior
do clube em Brasileiros foi o 7 x 0 sobre o Vitória-ES em 1977. Já o
Atlético-PR levou 6 gols pela segunda vez na história em Brasileiros – a outra
havia sido em sua maior derrota (0 x 6 para o Inter, em 2004). O primeiro tempo
do jogo foi também o com mais gols na história do Brasileirão, desde 1971,
repetindo o feito de Dom Bosco-MT 2 x 5 Ceará, de 1979, e Santos 5 x 2
Criciúma, de 2003. No domingo, o Bahia fez 5 x 2 depois de estar perdendo por 2
x 1. No ano passado, o empate entre Sport 4 x 4 Atlético-MG teve 6 gols no
primeiro tempo. Na Bahia, a última vez que saíram 6 gols no primeiro tempo foi
na derrota do Bahia por 7 x 4 para o Santos em 2003.
Avaí 0 x 0 Vitória
Único
empate sem gols da rodada.
Ponte Preta 4 x 0 Sport
Pior
público (3 104) e renda (R$ 53 425,00) da rodada. Renda quase 40 vezes menor do
que a do Palmeiras na 1ª rodada. A goleada foi também a maior da Ponte na era
dos pontos corridos desde o 4 x 0 sobre o Paraná, em 2003.
Palmeiras 4 x 0 Vasco
Maior
renda da rodada (R$ 2 109 685,93) e segundo maior público (33 425), no retorno
do técnico Cuca ao Palmeiras. No Allianz Parque, Palmeiras segue invicto em
2017 e já acumula 22 jogos sem derrota – a última foi no dia 24 de julho de
2016, 0 x 1 para o Atlético-MG, na 16ª rodada do Brasileirão. Já o Vasco perdeu
seu 14º jogo por 4 ou mais gols na era dos pontos corridos.
Cruzeiro 1 x 0 São Paulo
Diante
do seu maior carrasco em Brasileiros, o Cruzeiro ganhou seu segundo jogo desde
2005 (últimos 13 jogos). Agora, desde 1971, em 30 jogos, são 7 vitórias da
Raposa, 8 empates e 15 vitórias do Tricolor em jogos com mando do Cruzeiro. No
geral, em Brasileiros, são 55 jogos, 10 vitórias do Cruzeiro, 15 empates e 30
vitórias do São Paulo. Já o goleiro Fábio, de 36 anos, recordista de jogos na
era dos pontos corridos (474 partidas), completou seu 500º jogo em Brasileiros.
Apenas Rogério Ceni, que estreou ontem com derrota como técnicos, tem mais
jogos na história dos Brasileiros como jogador – 575 partidas.
Grêmio 2 x 0 Botafogo
No
último jogo do Brasileirão de 2016, o Botafogo, de Jair Ventura, venceu o
Grêmio, de Renato Gaúcho, em Porto Alegre, por 1 x 0. No domingo, voltaram a se
encontrar pelo Brasileirão, mas dessa vez deu Grêmio, com dois gols de Ramiro,
que pela primeira vez fez duas vezes na competição em um só jogo. O goleiro
Marcelo Grohe chegou a 75 jogos sem sofrer gols em Brasileiros, em 164
disputados.
Coritiba 4 x 1 Atlético-GO
No
último da rodada, o meia Tomás Bastos, ex-J. Malucelli-PR, estreou em grande
estilo pelo Coritiba. Depois de entrar aos 17 minutos do 1º tempo no lugar de
Anderson, o jogador marcou dois belos gols de falta. Algo raro no Brasileirão,
que teve apenas 17 gols assim no campeonato todo de 2016. No ano passado,
apenas dois jogadores marcaram dois gols de falta (mas em jogos diferentes) –
Gustavo Scarpa (Fluminense) e Marinho (Vitória). Só ontem, Tomás Bastos fez
mais gols de falta do que o Corinthians nos últimos dois anos em todos os jogos
oficiais.

COMENTÁRIOS: