“Vão dar bons frutos ao Flamengo”, diz Juan sobre jovens.

19
Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

GLOBO
ESPORTE:
Ao poupar peças no jogo diante do Atlético-GO, o técnico Zé Ricardo
voltou a dar chance para alguns jovens como Ronaldo, Paquetá e Matheus Sávio.
No time alternativo que empatou em 0 a 0 no Maracanã, havia também o mais
experiente do grupo do Flamengo. E também um dos mais vitoriosos com a camisa
do clube. Aos 38 anos e recuperado de um edema que o deixou fora de jogos
recentemente, Juan mostrou que segue com a técnica apurada e continua sendo uma
opção para o grupo. É também uma referência para jovens que iniciam a carreira
no Rubro-Negro.

– É
fácil de falar dele. É muito inteligente. Sabe realmente ajudar todo o nosso
grupo. Foi importante a presença dele lá. Até pelo fato de a Copa do Brasil
penalizar muito quem leva gol em casa. Então, a experiência dele seria
importante. Tecnicamente mente falando, é um jogador acima da média. Mas
principalmente para passar a experiência para o Sávio, Paquetá, para o
Ronaldo… Sabemos que temos que ter cuidado, porque já tem 38 anos. Mas
sabendo dosar isso, vai nos ajudar bastante – analisou o técnico Zé Ricardo.
Juan
conseguiu mesmo mostrar sua boa técnica quando exigido na partida desta
quarta-feira. Voltou a chamar atenção em boas antecipações na defesa. Após o
jogo, celebrou mais do que a atuação e o fato de o Flamengo não ter sofrido
gols. Valorizou acima de tudo não ter sentido o peso de uma partida completa –
a última vez que havia participado integralmente de um confronto foi em 18 de
março, na vitória por 1 a 0 sobre o Resende. Bom sinal.

Feliz principalmente por ter aguentando os 90 minutos. Tive um edema que me
afastou uma semana dos treinos, na coxa, que é um lugar chato. E fico feliz de
não ter sentido nada. Muito tempo sem jogar, até mesmo de participar de
coletivos. Não é o nível ideal, mas deu para jogar bem e ajudar os companheiros
– disse o zagueiro.
Formados
nas divisões de base do Flamengo, Juan teve a oportunidade de ganhar seu quinto
título carioca pelo clube no último domingo. Dias depois, recebeu a chance de
atuar ao lado de meninos que tentam trilhar o mesmo caminho que ele há mais de
15 anos. Com bom humor ao falar sobre os meninos do ”Ninho”, o zagueiro – que
atuou como capitão na ausência de Réver – elogiou o potencial dos companheiros.
– Eu
chamo de Baby Fla. Faltaram alguns, mas tinham alguns representantes como
Paquetá, Sávio, Vizeu. São todos garotos de grande potencial. Faz bem jogar
esse tipo de jogo, no Maracanã, com público bom e time de série A. Pouco a
pouco eles vão pegando ritmo e com certeza vão dar bons frutos ao Flamengo.
O
Flamengo volta a jogar no próximo sábado. Desta vez, receberá o Atlético-MG,
pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Na quarta-feira, a equipe encara
o San Lorenzo, na Argentina, pela Libertadores.

COMENTÁRIOS: