Arão cita o time para má atuações no Flamengo: “Não jogo sozinho”

12
Foto: Fred Gomes/GloboEsporte.com

GLOBO
ESPORTE
: Willian Arão faz um 2017 ruim com a camisa do Flamengo. Acumula más
atuações e não consegue, juntamente com Márcio Araújo, melhorar a saída de bola
do meio-campo para o ataque. Antes gritado pela torcida em função do bom início
do clube, sobretudo no primeiro semestre do ano passado, agora está na mira.
Foi xingado no CT, na sexta-feira, no Aeroporto Hercílio Luz, no sábado, e aos
40 minutos do primeiro tempo do empate por 1 a 1 entre Fla e Avaí, no domingo.
As ofensas na Ressacada vieram após o segundo dos dois erros de passes que
cometeu na partida. Pouco errou passe, mas jogou mal.

Desconcentrado,
virou alvo e não voltou para o segundo tempo. Um dos líderes de desarmes e
roubadas de bola do Flamengo desde que chegou ao clube, neste domingo só
conseguiu um em cada quesito mencionado. A má fase não é novidade nem para o
próprio camisa 5 rubro-negro.

Talvez sim. Meu momento ruim vem também com o time, também não jogo sozinho. Às
vezes erro um passe, as pessoas olham para mim, mas às vezes a culpa não é minha.
Não estou querendo terceirizar isso. Acho que pode se considerar meu pior
momento, mas estou muito tranquilo. Já vivi bons momentos, mas nunca deixei de
trabalhar. Vou continuar trabalhando para voltar a jogar bem – afirmou o
jogador de 25 anos.
Zé Ricardo
também sente que o comandado está mal e relaciona tal queda com o alto índice
de participação de Arão. No ano passado, atuou em 64 dos 68 jogos do Flamengo.
Na atual temporada, só não entrou em campo em em seis dos 35 compromissos
rubro-negros. O técnico aposta no diálogo para ver se vale ou não substituí-lo.
Com Muricy Ramalho ou Zé, o volante sempre foi titular. Só Jayme de Almeida,
interinamente contra o Grêmio, em 2016, o barrou.
– A
gente vai analisar bem durante esses dois dias de preparação. Willian
participou bastante das partidas até agora. Talvez esteja sentindo agora o
resultado de tanto esforço que fez. Tem nossa confiança. Vamos conversar. Se
tiver que fazer substituição para as próximas partidas, sem problema algum.
Porque é um grupo em que temos total confiança, e o atleta da posição está
treinando bem. Vejo isso com naturalidade – afirmou Zé Ricardo.
Sobre
as ofensas escutadas nos protestos e na Ressacada, Arão acredita que a cobrança
só é endereçada a quem pode entregar algo interessante. Por isso, assegura
tirar de letra o atual momento que enfrenta.

Estou muito tranquilo. Acho que eles estão no direito deles desde que não
partam para a violência, até porque o time não vive boa fase. Se estão me
cobrando com certeza é porque sabem que posso dar mais.
– Posso
melhorar, talvez não esteja jogando tão mal assim, mas sempre busco a melhora
pessoal. Não estou satisfeito com meu rendimento e vou trabalhar para poder
reverter essa situação.
O
Flamengo volta a jogar na próxima quarta-feira, às 21h, na Ilha do Urubu,
contra a Ponte Preta.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here