Abaixem os preços dos ingressos

37
Estádio da Ilha do Urubu – Foto: Divulgação

FALANDO DE FLAMENGO: Por Léo Sardou

Eu sou
Mulambo, mas, sou honrado… Sou Mulambo, e meu manto é Sagrado!
Esse é
o refrão da música que o Maestro Júnior fez em homenagem ao Flamengo… Festa na
Favela é um outro grito ecoado há décadas no Maracanã. O Flamengo sempre viveu
do amor reciproco entre clube e os seus seguidores. O Rubro-Negro sempre foi o
povo brasileiro e o povo brasileiro sempre se viu no Flamengo daí nos tornamos
‘A NAÇÃO’. E hoje?
Hoje o
Flamengo é o clube das finanças, da administração perfeita, dos títulos fora de
campo. É o time do faturamento, é o time do superávit, é o time da maior
receita de marketing, do Manto poluído (e com marcas inexpressivas) mas, não é
mais o time do Povo. Essa administração que acerta na maioria das nossas
demandas, tem errado num ponto crítico. Está esquecendo a raiz do clube, está
deixando de lado aquilo que me fez ser Flamengo.
É
claro que a culpa não é exclusivamente dela. Não somos ingênuos e sabemos que o
crime cometido contra o Maracanã foi, e é uma das principais causas dessa
elitização do futebol. Elitização essa, que sejamos justos, não acontece só
aqui. Outros clubes também estão com o mesmo problema. Mas o Flamengo não é
outro clube. Desde sempre, sabíamos que com um estádio de pequeno porte a lei
da oferta e procura iria balizar a questão de quem compra os ingressos. E como
o CEO Fred Luz falou, a tendência é que os ingressos sejam consumidos pelos
Sócios Torcedores, isso é um fato e não temos muito por onde correr. Mas,
podemos tentar reduzir esse estrago.
Sou ST
desde o lançamento, sabia que essa seria a solução para ajustar as contas do
clube e decidi ajudar. Ano passado, sem o Maracanã, paguei o plano para
assistir os jogos na TV, fiz para ajudar e não me arrependo. Mas agora esperava
uma contrapartida do clube, não só para mim, que além de ser ST desde o início,
fiz um upgrade no início de 2017 por conta da Libertadores, e agora no
Brasileiro, fiz outro para conseguir comprar os ingressos mais baratos. O
grande problema, não sou eu, que AINDA posso pagar pela minha paixão. Meu
problema são os outros. Amigos de arquibancada que não vão mais. Olhar para o
lado e não ver a pluralidade de outrora. Vejo uma torcida pasteurizada. Não
vejo meu povo, não me enxergo MULAMBO, muito menos na Favela, e sério… Eu tinha
um orgulho fudido do meu time representar essa galera.
Poderíamos
entrar no discurso que infelizmente é isso, e que o futebol não é mais para
todo mundo. Poderíamos, se não fossemos o Flamengo. O Salário Mínimo hoje é de
R$ 937,00, não vou nem colocar o custo do Sócio Torcedor, mas, um pai para
fazer com que seus filhos adquira o costume de ir aos jogos, hoje tem uma
despesa de no mínimo R$ 450,00 entre ingressos,
transportes/estacionamento/combustível e alimentação. “Metade” de um salário
mínimo por jogo para levar duas crianças (acima de 12 anos). Como bancar isso?
Eu vou
a praticamente a todos os jogos do Flamengo no Rio há mais de 15 anos. Sem
contar o ST, tenho um custo mínimo de + ou – R$ 200,00/jogo. Sinceramente, está
ficando pesado, na verdade muito pesado. Já vou ser obrigado a escolher os
jogos que vou comparecer. Não está dando para levar, colocando na ponta do
lápis, quatro jogos em casa, por mês e veja o esforço que está sendo torcer
pelo Flamengo.
Não
quero entrar no mérito das gratuidades governamentais e nas outras que sabemos
que existem. Vamos nos centrar que o Flamengo não pode virar as costas para a
sua Torcida. Pois, vale lembrar que se não fossem os 40 milhões de MULAMBOS
esse sucesso administrativo não seria possível, nossa cota de TV não seria a
mesma, nosso patrocínio não seria o mesmo. Tudo foi facilitado por sermos
Flamengo, e Flamengo, quem pagou sua conta foi a torcida não esqueça disso.
Chega de extorquir nosso povo no ingresso, chega de Food Truck, de pipoca,
gente… a Pipoca sai por R$ 12,00, DOZE REAIS um mísero saco de pipoca. Vocês só
podem estar de sacanagem.
Mas,
Léo, qual é a solução? Cara, sinceramente não sou eu que posso dar. Tem VP de
Marketing e que faz um trabalho bem bacana, diga-se, para pensar nisso e uma
outra caralhada de gente mais preparada que eu para isso. Mas, vou dar uma
dica. Ingressos Sul, Norte e Leste, mesmo preço, R$ 35,00 já quebrava o galho
do meu povo. Na Oeste cobra R$ 50,00/ 60,00, é a única área coberta do estádio.
Ah, não me mete essa que tem que pagar ingresso caro, para ter um time caro. A
galera já paga o Sócio Torcedor caro para isso R$200k/jogo não paga a folha de
+ ou – 9 Milhões, isso é conversa para boi dormir.
Agora
vou falar com meu povo… Só tem um jeito de diminuir esses ingressos, ou
deixamos de acompanhar nossa paixão, lei da oferta e procura, ou nos
manifestamos, via rede social, no estádio. A minha ideia é mais complexa,
imagino 60 mil pessoas na Ilha, mas, do lado de fora. Estádio vazio e essas
imagens rodando o mundo. Duvido que nada aconteceria. Hoje está fácil gerir o
Flamengo, não tem pressão e os anos de desmando administrativos deram uma aura
e uma proteção a essa gestão, que não fez mais do que sua obrigação, diga-se, e
que pode ganhar tudo, mas, não tem o direito de deixar meu povo de fora.
ABAIXEM
OS PREÇOS DO INGRESSO!

COMENTÁRIOS: