Árbitros erram em média mais de um pênalti por rodada no Brasileiro

78
Árbitro Anderson Daronco apitando jogo do Vasco – Foto: Gilvan de Souza

RODRIGO
MATTOS
: Os árbitros erram em média 1,2 marcação de pênalti por rodada do
Brasileiro da Série A. É o que mostra um levantamento do blog em cima dos
relatórios da CBF sobre as falhas dos juízes. Os equívocos relacionados às
penalidades são disparados os mais comuns nas análises da confederação.

Desde
o início do Brasileiro-2017, a comissão de arbitragem da CBF decidiu passar a
publicar uma avaliação das decisões dos juízes, com as imagens e explicações
para acertos e erros. A medida é altamente salutar: aumenta a transparência da
competição por prestar contas a torcedores e clubes.
O
levantamento mais regular é feito no Nacional da Série A. Há lances da Série B,
mas não de todas as rodadas. E, no caso da Série C, há apenas um lance
apontado. Portanto, o blog usou o campeonato de elite como parâmetro e
considera que, após 11 rodadas, é possível ter um panorama de onde estão os
problemas da arbitragem.
Foram
encontrados 13 erros relacionados a pênaltis, seja de penalidades ignoradas ou
de marcações mal feitas. Ou seja, uma média de 1,2. Ressalte-se que aí estão
apenas os lances apontados pela comissão de arbitragem da CBF: há outros
passíveis de discussão.
A
falha mais comum dos árbitros é ignorar pênaltis: foram 11 vezes que isso
ocorreu. Houve casos de empurrões, agarrões e mãos que não foram vistos ou
foram mal interpretados pelos juízes. Em duas situações, foram apontados
pênaltis inexistentes: ambos na penúltima rodada. Um deles foi a favor do Sport
(em mão inexistente do zagueiro do Atlético-PR) e outro a favor do Corinthians
(em falta fora da área contra o Botafogo).
No
total, foram 22 erros assinalados na avaliação da CBF. Fora os pênaltis, são
casos de gol legal invalidado (Corinthians contra o Coritiba), gol irregular
(Vasco contra o Botafogo) ou falta de vermelho (vascaíno Jean diante do Bahia).
Repita-se: a iniciativa da confederação é positiva. Mas esse excesso de erros
em pênaltis certamente causará protestos em fases agudas do Brasileiro como se
viu em todas as edições anteriores.

COMENTÁRIOS: