Campeões brasileiros de 1992 são homenageados pelo Flamengo

60
Jogadores que formaram o time do Flamengo campeão brasileiro de 1992 – Foto: Divulgação

SITE
OFICIAL DO FLAMENGO
: A noite desta sexta-feira (21) foi especial para os
torcedores presentes no Fla Memória. Com a presença de nomes como Djalminha,
Paulo Nunes, Júnior Baiano, Nélio, Zinho, Gilmar Rinaldi e Júnior, a exposição
do Mais Querido recebeu uma linda celebração pelos 25 anos do pentacampeonato
rubro-negro. Além disso, Gaúcho e Carlinhos, que faleceram no ano passado,
foram homenageados por todos os ex-atletas do Flamengo.

Com a
presença de Eduardo Bandeira de Mello, que abriu e encerrou a cerimônia, quase
todos os heróis da Nação de 1992 receberam, um a um, placas comemorativas das
mãos de torcedores.
“É
um prazer enorme estar aqui e ser o presidente neste momento em que estamos
homenageando meus heróis. Como torcedor, assisti aquele título improvável,
quando fizemos valer a expressão ‘deixou chegar, o Mengão fatura’. Chegamos à
decisão com o Botafogo, que era, para muitos, o favorito. Porém, vencemos por 3
a 0 no primeiro jogo e empatamos no segundo. O pentacampeonato ficou marcado em
nossos corações. Estou muito emocionado por estar aqui”, disse o
presidente rubro-negro.
Oposta
à alegria da conquista do título esteve a queda de parte da arquibancada do
Maracanã, que acabou com quatro fatalidades e muitos feridos. Para honrar a
memória de todos os afetados pela tragédia, cinco sobreviventes também fizeram
parte do evento, entregando placas especiais para os ex-jogadores.
O
momento mais emocionante da noite ficou por conta das homenagens a Gaúcho e
Carlinhos, duas das mais importantes peças do time vitorioso de 1992. Com a
presença de familiares e as palavras dos ex-companheiros de equipe, a memória
de dois ídolos rubro-negros foi honrada e lembrada.
Para
Zinho, o Violino não foi apenas o grande treinador de sua carreira, mas também
seu mentor no futebol. Descoberto por Carlinhos quando ainda era jovem, o
jogador afirmou que o técnico mudou sua vida, fazendo um lindo discurso sobre o
ícone rubro-negro. Outro emocionante momento foi conduzido por Paulo Nunes, que
falou sobre o grande amigo Gaúcho, lembrando do atacante dentro e fora das
quatro linhas.
No
encerramento da cerimônia, o eterno camisa 5, Júnior, falou sobre a importância
do título não apenas em sua carreira, mas em sua vida pessoal. Retornando ao
Flamengo após um pedido de seu filho, o jogador afirmou que carregava muita
responsabilidade naquele ano, mas que, sem dúvidas, foi a passagem mais feliz
de sua longa história rubro-negra.

COMENTÁRIOS: