Comissão técnica do Flamengo tem dia de temor em São Januário

25
Jogadores do Flamengo no gramado de São Januário – Foto: Divulgação

EXTRA
GLOBO
: A partida entre Vasco e Flamengo de sábado já entrou para a história por
causa das cenas de violência ocorridas dentro e fora de São Januário, que
culminaram com a morte de um torcedor. Para os jogadores rubro-negros, será um
jogo difícil de se esquecer. A alegria pela vitória sobre o rival se misturou a
uma série de sentimentos, antes, durante e depois do caos instalado na Colina.

No
primeiro tempo, os rubro-negros atacaram para o gol das arquibancadas de São
Januário. A concentração na partida não impediu que os jogadores, nos momentos
em que a bola estava parada, percebessem os focos de confusão na torcida
vascaína. Alguns deles relataram a pessoas próximas que não entendiam o que
estava acontecendo. O clássico à aquela altura estava empatado e amarrado, com
poucas chances de gol para ambas as equipes.
Ao fim
da partida, a comemoração pela vitória deu lugar à dificuldade para descer para
o vestiário. Zé Ricardo aproveitou a saída dos jogadores vascaínos para descer
ao mesmo tempo, sem ser alvo de tantas bombas arremessadas pelos torcedores.
Seu time não teve a mesma sorte e levou um tempo para conseguir sair do
gramado.
No
vestiário, já em segurança, a festa dos jogadores aconteceu sem maiores
problemas. Houve música para cantarem, mas logo em seguida o semblante deles
mudou.
Isso
porque a delegação rubro-negra não sabia ao certo quando poderia deixar o
estádio. Quem havia se programado para deixar São Januário sozinho foi
convencido pelos seguranças de que era mais prudente todos saírem juntos, no
ônibus do clube. Rafael Vaz chegou a tentar sair antes, por ter uma viagem
programada, mas teve de mudar de ideia. Everton, que tinha um jantar programado
com a mulher na noite de sábado, depois do jogo, também foi obrigado a alterar
os planos.
Depois
de uma espera de mais de uma hora, o ônibus do Flamengo deixou São Januário
escoltado pela polícia militar e desembarcou os jogadores na Barra da Tijuca,
de onde cada um seguiu seu caminho.

COMENTÁRIOS: