Diego Alves tem vitrine do Flamengo para disputar vaga para a Copa

17
Diego Alves na Seleção Brasileira – Foto: Divulgação

GLOBO
ESPORTE
: Diego Alves voltou ao futebol brasileiro para tentar avançar casas na
corrida por uma vaga na Copa do Mundo do ano que vem. No Flamengo, quarto
colocado do Campeonato Brasileiro, sua missão será dividir os olhares da
comissão técnica da Seleção com outros goleiros nos próximos meses.

Tite
tem uma pré-lista de convocados. Ela tem 50, 55, 60 nomes… Varia de acordo
com o momento de jogadores. Há dois meses, por exemplo, Weverton, do
Atlético-PR, presente em todas as listas até agora, e Fernando Prass, do
Palmeiras, eram os mais cotados em território nacional. Em fases irregulares,
foram substituídos por Vanderlei, do Santos, e Cássio, do Corinthians. Os dois,
recentemente, foram observados de perto, em treinos, pelo preparador Taffarel,
da Seleção.
Do
Valencia para o Flamengo, Diego Alves certamente continuará nesse radar. Até
porque ele foi o titular na última partida do Brasil, a vitória por 4 a 0 sobre
a Austrália, amistoso no mês de junho.
Diego,
entretanto, só disputou esse jogo porque Ederson se apresentou com cinco dias
de atraso, em razão do nascimento de sua filha. O ex-goleiro do Benfica,
reforço do Manchester City para a próxima temporada, seria o escolhido pelo
critério “tempo de casa”. Em condições normais, Weverton jogaria
contra a Argentina, Ederson diante da Austrália, e Diego Alves apenas
treinaria.
Foi
justamente nos treinos e nessa goleada que Diego Alves chamou atenção da
comissão técnica pela segurança e por como se mostrou confortável nos grupos.
Durante os nove dias em Melbourne, sua voz foi sempre a mais ouvida em campo.
Os gritos de orientação ao time foram muitos e em voz alta. Tite comentou que
ele se sente leve, à vontade com a camisa da Seleção.
Durante
o jogo, o silêncio sepulcral no Melbourne Cricket Ground permitia que, mesmo
num estádio para 100 mil pessoas, Diego Alves fosse ouvido das longínquas
cabines de imprensa.
– Eu
sou assim, vivo muito os jogos, tento orientar passando informações, deixando
os jogadores concentrados 90 minutos. Quando treinramos assim, nos acostumamos.
O goleiro tem visão privilegiada em campo, acho importante ter esse tipo de
contato, de orientação. Toda informação é bem vinda aos jogadores, na marcação
ou avisando que está sozinho, tudo influencia na posição de goleiro atualmente
– disse o goleiro, agora do Flamengo, ainda na Austrália.
Esse é
seu grande trunfo. Hoje, Taffarel tem dois preferidos: Alisson e Ederson. Em
comum, na avaliação da comissão técnica, a soma da altura e da velocidade de
ambos resulta numa envergadura muito boa, capaz de defesas que poucos goleiros
são capazes de fazer.
Alisson
é titular desde outubro de 2015, quando Dunga ainda era o técnico. A aposta
nele é tão intensa que o goleiro ouviu de Tite uma sugestão para se posicionar
quanto ao futuro na Roma. Na temporada passada, ele jogou apenas as partidas de
Copas, já que na liga italiana, campeonato mais duradouro, o titular era o
polonês Szczesny.
Com a
saída do concorrente, a expectativa é de que Alisson seja o principal da
posição. Tite torce muito por isso, assim como pela utilização constante de Ederson
no City de Guardiola.
Diego
Alves terá, no Flamengo, que já levou até Muralha à Seleção, no ano passado, a
oportunidade de se juntar a Alisson e Ederson. Hoje, Vanderlei e Cássio são
seus maiores concorrentes. A próxima convocação será feita no dia 11 de agosto,
para os jogos contra Equador e Colômbia, nos dias 31 de agosto e 5 de setembro,
respectivamente. A tendência é que mais jogadores do futebol brasileiro estejam
na lista, em razão da temporada europeia ainda estar no início.

COMENTÁRIOS: