Diego vacila contra dupla paulista e conhece corneta no Flamengo

29
Diego durante Corinthians x Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

GLOBO
ESPORTE
: Um dos jogadores mais regulares do Flamengo, Diego fez o time subir de
patamar desde a sua chegada no ano passado e não tem o título de
“homão” à toa – apelido bem-humorado que a torcida colocou no
jogador. Faz por merecer o carinho e até a idolatria dos torcedores do Flamengo
pelo desempenho em campo e pela liderança até fora das quatro linhas.

Mas um
novo erro em jogo decisivo fez a torcida que ele conquistou pegar um pouco no
seu pé depois do empate com o Corinthians. O gol perdido logo depois de Réver
marcar para o Flamengo poderia ter dado a vitória ao time. O lance fez muitos
torcedores lembrarem também do pênalti perdido no fim do jogo contra o
Palmeiras.
Se na
Ilha do Urubu, as vaias e críticas caíram muito mais para o técnico Zé Ricardo
– e Diego teve o nome gritado após Jailson defender o pênalti -, desta vez o
“homão” conheceu a corneta afiada dos rubro-negros. Da outra vez,
Diego agradeceu o apoio do torcedor e disse que seria uma noite complicada.
Discurso parecido ao do erro contra o Corinthians.

Apesar da bola ter quicado, foi uma oportunidade que não é normal perder. Sem
dúvidas são oportunidades que devem ser aproveitadas, como já aproveitei
tantas. Apesar de saber que uma hora vamos falhar, é difícil de digerir.
Próximo jogo estarei ali novamente para tentar e, se Deus quiser, acertar. Como
tenho feito, muito mais acertos do que erros – defendeu-se Diego.
Substituição por dores na mão
Um dos
líderes do time, Diego foi substituído no segundo tempo depois de sentir dores
na mão esquerda – entrou Vinicius Júnior. Ele também levou seu primeiro cartão
amarelo na competição. Segundo estatísticas da TV Globo, ele acertou 47 passes
e errou apenas dois. O jogador finalizou apenas uma vez – justamente o lance do
gol perdido.
A
saída de Diego muda o posicionamento do Flamengo, que terminou a partida com
Everton na lateral, Berrío pela direita e Éverton Ribeiro centralizado, onde se
posiciona o camisa 35. Diego é peça fundamental no esquema de Zé Ricardo e
procura evolução física para seguir como criador das melhores jogadas do time.
Apesar
das dores na mão – que estava arranhada e inchada na saída da partida deste
domingo em São Paulo -, Diego não vai ser problema para o jogo de quarta-feira.
O time volta a São Paulo e vai enfrentar o Santos, no Pacaembu, na próxima
quarta-feira, às 21h45.

COMENTÁRIOS: