Diego volta à Vila 13 anos mais velho, mas com os mesmos 73 kg

8
Gazeta Press

ESPN: A
quarta-feira que define o futuro do Flamengo na Copa do Brasil será de
reencontro com o passado para Diego. Contra o Santos, o meia volta à Vila
Belmiro depois de 13 anos – nos quais ganhou maturidade, rodou por cinco países
diferentes na Europa, mas manteve os mesmos 73 kg de 2004.

O ano
em questão marcou a última aparição do astro no estádio que viu seus primeiros
momentos de brilho no futebol brasileiro. No dia 20 de junho, ajudou o Santos a
vencer o Internacional por 3 a 0 e, dias depois, foi vendido ao Porto por 8
milhões de euros (quase R$ 30 milhões na época).
Em
Portugal, o hoje camisa 35 rubro-negro foi campeão mundial ainda em 2004, com
19 anos. Depois, passou por Alemanha, Itália e Espanha, conquistando a Bundesliga,
a Liga Europa e um Espanhol. Ganhou muita coisa, sem dúvidas, mas não peso,
mantendo a marca dos tempos de Santos.
Desde
que surgiu na Vila, em 2002, Diego registra os mesmos 73 kg que ostenta agora
no Flamengo. Seu parceiro Robinho, por exemplo, também voltou à Baixada
Santista com outra camisa, a do Atlético-MG, em 2016, mas ao contrário do
amigo, não com o mesmo físico franzino: foi de 60 kg para 65 kg.
Para
não dizer que nada mudou fisicamente no intervalo dos últimos 13 anos para
Diego, o meia ganhou dois centímetros desde então, crescendo de 1,73m para
1,75m – Robinho seguiu com 1,72m.
“Metidinho bom de bola”
Com a
camisa do Santos, Diego e Robinho encantaram o Brasil em 2002, e o primeiro se
tornou naquele ano o mais jovem campeão brasileiro da história, com 17 anos, 9
meses e 13 dias. A pouca idade, porém, o fez conviver com críticas pela falta
de maturidade – algo que definitivamente ficou para trás.
“O
Zito me dizia que eu não podia perder os jogos dos juvenis do clube aos sábados.
Ele sempre falava do camisa 10, um metidinho bom de bola”, exemplificou
certa vez o técnico Carlos Alberto Parreira, referindo-se a episódio em 2000,
quando Diego tinha 15 anos e Zito era dirigente do Santos.
Pela
postura, por exemplo, Diego foi um dos que acabou marcado pelo fracasso da
seleção brasileira no Pré-Olímpico de 2004, que custou a vaga nos Jogos de
Atenas. Já hoje, virou uma das referências do Fla.
“Mudou
muita coisa. Hoje estou com 31 anos, passei por cinco países diferentes, clubes
diferentes, sou pai de dois filhos, casado. Enfim, bastante coisa. Porém, a
essência permanece. Com 31 anos, evolui e ainda tenho muito a evoluir”, disse o
meia em sua apresentação no clube rubro-negro em 2016.
Santos x Flamengo na Vila
Diego
já disputou um Santos x Flamengo na Vila Belmiro em sua carreira, com a camisa
alvinegra, em 23 de agosto de 2003. Venceu por 2 a 1 – em placar que pode até
se repetir hoje que a classificação no duelo de volta das quartas de final da
Copa do Brasil será rubro-negra, após o triunfo por 2 a 0 na ida.
O que
marcou aquele jogo, porém, foi a negativa de duas propostas do Tottenham por
Diego durante a semana: US$ 9 milhões e, em seguida, US$ 12 milhões (o que
seria equivalente atualmente a R$ 81,7 milhões em valores corrigidos). O Santos
rejeitou as ofertas e acabou o vendendo mais barato um ano depois.
Curiosamente,
naquela ocasião, Diego falou sobre retornar à Vila, já que o time paulista
havia feito três jogos seguidos longe do estádio.
“Voltar
à Vila é sempre bom, principalmente nesse momento, pois a torcida estará do
nosso lado e nós temos tudo para buscar outra vitória”, disse na época.

nesta quarta, Diego até espera contar com o carinho do torcedor santista –
embora pouco provável -, mas, quando a bola rolar, será um adversário. Pela
primeira vez no estádio que tanto o viu brilhar – sempre com os mesmos 73 kg.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here