Ederson agradece apoio de jogadores e da torcida do Flamengo

36



EXTRA
GLOBO
: O meia Ederson, do Flamengo, passou na última sexta-feira por uma
cirurgia para a retirada de um dos testículos e a colocação de uma prótese. Ele
foi diagnosticado recentemente com um tumor na região. Agora, o atleta, que já
teve alta do hospital, será submetido à quimioterapia durante até três meses.
No Instagram, neste domingo, Ederson postou um vídeo agradecendo as mensagens
de apoio.
“Olá,
pessoal… como vocês sabem eu passei pela cirurgia na sexta-feira. Graças a
Deus, ocorreu tudo bem. Estou me sentindo ótimo. Gostaria de agradecer à toda
equipe médica, ao Flamengo, à Nação Rubro-negra, mas também a todos, do Brasil
inteiro e do mundo inteiro que me mandaram mensagens. Agradecer pelas
orações… Muito obrigado aos atletas que passaram por isso e conseguiram
superar esse problema como Douglas, Nenê, Magrão, Willian, que me mandaram
vídeos e me deixaram muito tranquilo e esperançoso de que eu também vou superar
esse obstáculo e voltar ainda mais forte. Já estou pronto mentalmente para
passar essa próxima etapa. Com carinho de todos vocês, com carinho da minha
família, dos meus amigos e companheiros e com muita fé em Deus eu vou superar
esse obstáculo e voltar ainda mais forte. Obrigado por tudo, estamos juntos!”,
disse Ederson.
O
jogador ainda não tem previsão de volta aos gramados. Somente após os três
meses de quimioterapia, os médicos vão avaliar se há possibilidade do camisa 10
voltar a jogar. A cirurgia foi realizada pelo Dr. Franz Campos e acompanhada
pelo chefe do departamento médico do Flamengo, Dr. Marcio Tannure.
Todo o
procedimento teve a duração de 40 minutos e, após a realização, os médicos
Campos e Tannure concederam entrevista coletiva, onde explicaram os próximos
passos do tratamento.
— O
material foi biopsiado e enviado para o controle de biópsia, para confirmar o
tumor. Foi implantada uma prótese testicular, que é o procedimento padrão. O
material retirado foi enviado para uma análise que vai definir várias situações
no futuro —, disse Campos, que apontou a necessidade de cuidar primeiro da
pessoa, para depois verificar a volta ao futebol. No entanto, há otimismo
baseado nas estatísticas.

COMENTÁRIOS: