Flamengo avalia proposta da CBF para transmissão internacional

55
Eduardo Bandeira, Presidente do Flamengo, e Daniel Alves – Foto: Divulgação

ESPN: A
CBF conseguiu a assinatura de Corinthians e São Paulo para negociar os direitos
de televisionamento dos seus jogos para o mercado internacional a partir de
2019. Os dois clubes vão na contramão da maior parte das agremiações que ainda
vêem com reservas a proposta da entidade. A ideia é incluir no pacote de vendas
os amistosos da seleção brasileira. 

Flamengo,
Palmeiras, Grêmio, Cruzeiro, Atlético-PR, Coritiba e Bahia são alguns dos
clubes que ainda estão receosos em assinar. A principal crítica é que o
documento com a proposta que a CBF enviou aos clubes dá plenos poderes para a
entidade agir, mas não define quais seriam as vantagens, nem os percentuais de
ganho com o negócio. Em resumo, os clubes temem ceder seus direitos assinando
um “documento em branco” com a entidade, sem a definição de qualquer
critério.
“O
São Paulo assinou, sim. Isso é importantíssimo”, disse Carlos Augusto
Barros e Silva, o Leco, presidente do São Paulo.
Já o
Palmeiras disse que ainda está discutindo a assinatura: “O Palmeiras está
discutindo internamente esse assunto por considerá-lo de extrema relevância.
Assim que tiver um posicionamento definitivo irá se manifestar”, enviou a
assessoria de imprensa após consultar o presidente Maurício Galiotte.
Além
do receio de não saberem como, nem em quanto seriam remunerados, os clubes
criticaram a falta de planejamento para se melhorar o produto internamente.
Para alguns dos dirigentes consultados, a valor que é pago pelo futebol deveria
ser rediscutido.
Algumas
reuniões foram realizadas na CBF para discussão do modelo. Numa delas, a
entidade levou dois palestrantes. Um deles, Patrick Murphy, ex executivo da
Uefa, responsável pela negociação dos direitos da Liga dos Campeões para
explicar quais seriam as possibilidades de ganho com o negócio.
Nesta
mesma reunião, estava presente o ex-executivo da TV Globo, Marcelo Campos
Pinto. Embora visto por alguns clubes como parceiro da CBF na tentativa de
venda dos direitos, ele e a entidade negaram que esta seja a ideia.
Segundo
Campos Pinto, ele foi chamado para fazer uma palestra sobre o cenário digital e
as possibilidades de negócio nessa área. Ele afirmou que atualmente não
trabalha com venda de direitos.
“Não
me sinto confortável em trabalhar ou falar sobre direitos de televisionamento,
por ter trabalhado na (TV) Globo tantos anos com isso. Eu fui chamado para
palestrar sobre outra questão, sobre o cenário digital e como os clubes podem
ganhar e trabalhar neste mercado, mas acabei não fazendo minha palestra por
falta de tempo”, disse, confirmando no entanto, que foi contratado para
fazer estudos sobre este mercado para a CBF.
A CBF disse
que está debatendo o assunto com os clubes, sobre um modelo de negócio único a
partir de 2019, mas não detalhou como seria a parceria.
A TV
Globo não está participando destas conversas.

COMENTÁRIOS: