“Flamengo e Vasco tem que ser no Maracanã”, afirma Zé Ricardo

18
Técnico Zé Ricardo e ao fundo a torcida do Flamengo no Maracanã – Foto: Gilvan de Souza

EXTRA
GLOBO
: O técnico Zé Ricardo falou mais sobre a confusão em São Januário depois
do clássico entre Flamengo e Vasco do que sobre a boa fase do time e a partida
de quinta-feira contra o Grêmio. Segundo o treinador, se nenhuma medida dura
for tomada novas cenas de violência vão se repetir. Em entrevista coletiva
nesta segunda-feira, já que a de sábado foi cancelada, o técnico desabafou
sobre a violência e também projetou o jogo com os gaúchos na Ilha do Urubu. Mas
sem esquecer de ressaltar a vitória sobre o Vasco.

– O
resultado ficou em segundo plano devido aos acontecimentos. Tivemos poder de
superação depois de uma viagem. Não foi um jogo tão interessante mas
precisávamos jogar com concentração. A vitória foi merecida. Ainda precisamos
melhorar. Mas envolvia aspectos não só de campo, por conta da rivalidade.
Infelizmente a gente acabou presenciando aquelas cenas no final. Esperamos
repetir o espírito do jogo contra o Grêmio – disse o técnico.
CONFIRA
OUTROS PONTOS DA ENTREVISTA
RELATOS DE SÃO JANUÁRIO
Felizmente
não aconteceu nada de mais grave. A segurança e a polícia militar tomaram as
providências para que ninguém tivesse nenhum dano ou consequência grave.
Demorei mais de duas horas para sair de São Januário. Só quando tivemos a
garantia de que o ônibus e os carros poderiam sair com tranquilidade que isso
aconteceu. Mais um fato lamentável. As proporções poderiam ter sido piores.
PUNIÇÃO AO VASCO
A
gente não tem o que comentar sobre as punições. Queremos torcida no estádio
torcendo com as famílias, foi triste ver crianças, casais, mulheres, correndo
para se proteger. Se não houver iniciativas realmente duras, ativas, daqui a
pouco vamos ver acontecer em outro estádio.
INTERDIÇÃO DE SÃO JANUÁRIO
Logicamente
que a solução não é essa. Não é a causa, é o efeito. A solução é mais profunda.
Tem que ter conscientização de todos os envolvidos, CBF, segurança. Tomar
decisões firmes para que isso não volte a acontecer. Daqui a pouco a gente vai
ter uma tragédia. Se não tomar uma decisão mais firme vai voltar a acontecer. Interditar
estádio ou não ter torcida é só mais uma ferida para o nosso futebol.
RELATOS PÓS-JOGO
Temos
parentes, amigos. Sabíamos que era mais arriscado. Pedi que ninguém da minha
família fosse. Estava um clima diferente. Mas muitos parentes de atletas foram.
Houve preocupação deles. Não só do Flamengo, mas eu estava próximo do vestiário
do Vasco e os atletas estavam preocupados. Não tem ninguém vitorioso nisso, só
prejudicado.
LOCAL DOS CLÁSSICOS
Eu não
mudo a minha opinião. Flamengo e Vasco tem que ser no Maracanã. Mas cobrando o
que está cobrando para abrir em um estádio que foi gasto R$ 1 bilhão em
reformas, e quando precisa usar é uma cobrança exagerada, me coloco na situação
dos presidentes e me vejo em uma encruzilhada. Para dar lucro ter que botar 50
mil pessoas? O Maracanã é de todos nós. Acho legítimo o Vasco jogar em São
Januário. As questões maiores não tenho como comentar. O fato é que a gente tem
que jogar. As torcidas e nós precisamos ter segurança. Cada vez que há qualquer
tipo de agressão todos saímos derrotados. Gostaria muito de ver um basta nisso.
Se não houver punições duras, vamos ver novamente daqui a pouco.
MAIS VIOLÊNCIA E SUAS SOLUÇÕES
Os
clubes também tem sua responsabilidade. A gente soube que nossa coletiva seria
dentro do campo. Não sabia o motivo. Em virtude dos acontecimentos não tinha
nenhuma possibilidade. Foi reiterada a informação através de um policial. Todos
saem perdendo.

COMENTÁRIOS: