Flamengo elimina o Santos e pega o Botafogo na Copa do Brasil!

118
Berrio homenageando Ederson em gol pelo Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

ESPN: O
Santos conseguiu virar um jogo que teve um pouco de tudo contra o Flamengo: gol
relâmpago, golaço, discussão e até pênalti cancelado pela arbitragem. Mas o
triunfo por 4 a 2, na Vila Belmiro, não foi suficiente para o time avançar na
Copa do Brasil. Faltou só um gol.

A
equipe rubro-negra, que deixou muito torcedor irritado na noite desta
quarta-feira, tinha a vantagem de ter vencido o primeiro confronto das quartas
de final por 2 a 0. Assim, para ser eliminada nesta noite teria de perder por 4
a 2.
O
adversário na semifinal será o Botafogo, que eliminou o Atlético-MG ao vencer
por 3 a 0, no Rio de Janeiro, também nesta quarta. As partidas estão marcados
para os dias 16 e 23 de agosto. A outra semifinal será entre Cruzeiro e o
vencedor de Atlético-PR e Grêmio.
O
Flamengo marcou com os atacantes Berrío e Guerrero. O Santos virou com gols dos
atacantes Bruno Henrique e Copete e do lateral Victor Ferraz.
Um
lance que ficou marcado foi o pênalti marcado pelo árbitro Leandro Pedro Vuaden
aos 40 minutos do primeiro tempo, após um encontro entre Réver e Bruno Henrique
em cima da risca da área flamenguista. Mas o juiz voltou atrás após ser avisado
pelo quarto árbitro que o zagueiro rubro-negro atingiu primeiro a bola e
somente depois o atacante santista. Penalidade cancelada e vaias na Vila
Belmiro.
Retorno
Desde
3 de junho que Ricardo Oliveira não atuava pelo Santos. O atacante substituiu
Kayke, que apresentou um edema na coxa esquerda e foi cortado do jogo.
Com
apenas 17 partidas e quatro jogos até então, Ricardo Oliveira disse antes do
duelo que a partida seria um recomeço para ele. Recuperado de uma entorse no
tornozelo e uma pneumonia, o jogador coleciona os piores números pelo Santos
desde que retornou ao time.
Além
disso, já teve um corte na orelha, foi diagnosticado com caxumba e teve
problemas físicos. Até aqui 2017 não tem sido fácil para ele. Diante do
Flamengo, ele ficou em campo até os 31 minutos do segundo tempo. Não fez gols,
mas batalhou bastante.
Retorno 2
Quem
também voltou ao time foi Alex Muralha. O goleiro jogou pela última vez em 7 de
junho, na derrota por 2 a 0 para o Sport, pelo Brasileiro. Criticado pelas
falhas recorrentes naquele momento, foi afastado e ficou treinando, sem falar
muito.
O
técnico Zé RIcardo explicou antes da partida que escolheu Muralha apostando na
confiança do arqueiro.  “A gente
entendeu que era importante voltar em momento decisivo. Com a experiência dele
para ajudar a gente”, disse antes do apito inicial.
1×1
Apesar
da pressão na Vila Belmiro, o Flamengo foi responsável pelo primeiro lance
perigo, que terminou em gol.
O
lance foi aos 9 minutos do primeiro tempo. No limite da risca do meio de campo,
o meia Diego deu ótimo lançamento para o atacante Berrío, que avançou boa parte
do campo e, ao invadir a área, chutou no lado esquerdo para marcar.
O
Santos demorou alguns minutos para se reorganizar na partida. Depois passou a
pressionar muito o time rubro-negro. O empate saiu aos 33 minutos da etapa
inicial, com um golaço de Bruno Henrique – sem chance de defesa para Muralha.
No
lance, Bruno Henrique recebeu a bola na intermediária. Em vez de invadir a
área, ele recuou um pouco, fugindo da marcação, e chutou no ângulo direito.
Antes de entrar, a bola ainda bateu no travessão. Realmente uma pintura.
Pênalti? Sim? Não!
O
Santos pressionava e buscava o gol da vitória. Aos 40 minutos aconteceu o lance
mais quente do primeiro tempo.
Bruno
Henrique recebeu a bola e, em cima da risca da grande área, caiu após desarme
do zagueiro Réver. O árbitro Leandro Pedro Vuaden assinalou pênalti, fazendo a
Vila Belmiro se entusiasmar. Mas o quarto árbitro Flavio Rodrigues de Souza
chamou o juiz e avisou que o zagueiro tocou primeiro na bola. Vuaden voltou
atrás e desmarcou o pênaltis. Os jogadores santistas se revoltaram. O zagueiro
David Braz era o mais irritado.
O jogo
prosseguiu, mas com a torcida gritando “Vergonha, Vergonha”. Ao final
da etapa inicial, os jogadores comentaram o lance.
“Ele
marcou o pênalti porque tava um pouco longe, mas o quarto arbitro viu que
peguei a bola primeiro. Eles conversaram e mudaram a decisão”, disse
Réver.
“Eu
peguei na bola. O Réver foi malandro, quando eu ia passar, deu um toquinho.
Arbitragem está errando muito, querendo interferir”, reclamou Bruno
Henrique.
Virada incrível, e eliminação
O
Flamengo fez 2 a 1 logo no primeiro minuto do segundo tempo. O meia Everton
recebeu a bola no meio de campo, avançou e entregou para o atacante Guerrero.
Na área, o peruano ficou de frente para Vanderlei e finalizou com calma para o
fundo do gol.
O
Santos não se abateu e empatou aos 8 minutos. Lucas Lima cobrou escanteio na
área, o atacante Copete cabeceou no canto esquerdo e Alex Muralha, não
conseguiu segurar a bola, que morreu no fundo do gol. O jogo ficou 2 a 2.
Aos
10, a virada. Dentro da área, Bruno Henrique ajeitou a bola para o lateral
direito Victor Ferraz, que chutou forte, no lado direito.
A
virada santista deixou a partida nervosa. Guerrero tentou catimbar, gastar
tempo e acabou se irritando com as faltas cometidas pela defesa santista.
Chegou a discutir com David Braz, Lucas Lima e Lucas Veríssimo. Chegou até a
ser acalmado pelos companheiros.

COMENTÁRIOS: