Flamengo mantém espinha dorsal e caminha para fechar o plantel

80
Foto: Divulgação

GARRAFÃO RUBRO-NEGRO: por Rafael Rezende

O time
do Flamengo para a temporada 2017-2018 começou a ganhar forma na última semana.
Com três competições pela frente (podendo ser quatro em caso de conquista da
Liga Sul-Americana), o Rubro-Negro movimentou a janela de transferências do
basquete brasileiro.
Até
então, só Humberto e José Neto estavam garantidos. Por outro lado, Léo Bispo,
Hakeem Rollins e Rafael Mineiro, que foi anunciado por Franca, eram as saídas
conhecidas. Em silêncio, a Diretoria trabalhou e, como num jogo de xadrez,
‘moveu’ peças. O dia “D” foi 03 de Julho, onde surgiram os primeiros
anúncios através do @TimeFlamengo no Twitter, perfil criado para abordar os
Esportes Olímpicos. Uma cesta de três, principalmente, pela valorização do
esporte. A torcida comprou a ideia e participou diretamente de cada novidade.
Mesmo sem ter o elenco completamente fechado, já dá para perceber que o clube
irá brigar por títulos.
A
partir de agora, você confere um resumo de tudo que aconteceu.
Segunda-feira (03): JP Batista e Olivinha
de contrato renovado.
– Logo
de cara, pela manhã, o pivô foi confirmado. Aos 35 anos, JP chegou ao clube no
meio de 2015 e não demorou para se adaptar. No NBB 9, registrou médias de 11.5
pontos, 6.2 rebotes e 14.4 de eficiência. Números excelentes.

Posteriormente, o Mr. Duplo-Duplo, que está de férias fora do Brasil, também
teve sua renovação sacramentada. Criado na Gávea, Olivinha é ídolo da torcida e
totalmente identificado. Reboteiro da edição passada do Novo Basquete Brasil,
tem impacto fundamental em quadra.
Terça-feira (04): Fischer oficialmente
fora, e Ronald Ramon/Marquinhos mantidos.

Através de suas redes sociais, o camisa 5 se despediu em um texto legal e deu
adeus. Logo depois, concedeu uma entrevista ao Garrafão Rubro-Negro, e abriu o
jogo sobre a passagem. O armador irá atuar no Bilbao, da Espanha.

Graduado em Pittsburgh, o Dominicano desembarcou no Brasil em 2010, e ganhou
projeção no extinto Limeira. No Fla, caminha para seu terceiro ano e está
feliz, como fez questão de mostrar via vídeo.
– Por
fim, Marquinhos, eleito MVP duas vezes e dominante no cenário nacional, concluiu
sua permanência. O ala assinou por dois anos. Essa manutenção é de quem quer
ser campeão.
Quarta-feira (05): Arthur Pecos e David
Cubillan contratados.

Pecos estava no Paulistano e foi um dos nomes da campanha histórica da equipe
da capital, que culminou com o vice diante de Bauru. Melhor sexto homem da
competição, o armador/ala-armador somou 10 pontos, 4.9 assistências e 11.7 de
eficiência vindo do banco. Reforço altamente conceituado.

Cubillan disputou a Olimpíada do Rio, em 2016, e foi um dos jogadores de
confiança de Néstor “Che” García. O venezuelano vem do Trotamundos,
onde foi comandado por Rubén Magnano, e se consolidou como um dos melhores
armadores da Liga local (16.8 pontos e 6.3 assistências por partida). Outra
curiosidade é ter atuado ao lado de Jimmy Butler, astro da NBA, em Marquette.
Quinta-feira (06): Marcelinho Machado e o
capítulo decisivo.
– O
gran finale da semana foi a confirmação de um ícone da modalidade. Marcelinho
acertou seu “fico”, e vai para o 11º ano no Mais Querido. O último de
sua carreira vitoriosa e excepcional. O ala garantiu que irá se aposentar em
2018, portanto, é certo que teremos fortes emoções.
Na
sexta-feira (07), Lelê foi procurado pela nossa reportagem e afirmou que não
seguirá. Falta conhecer o futuro de Pedrinho Rava. Segundo apuramos, o Fla
segue em busca de atletas para fortalecer o grupo que, no momento, conta com
nove membros. Um ala-pivô e um pivô devem chegar.

COMENTÁRIOS: