Flamengo tenta liberação de Geuvânio junto à Fifa.

10
Geuvânio e Gabriel, do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

GLOBO
ESPORTE
: Duas semanas após ser apresentado no Flamengo, Geuvânio segue sem
poder jogar com a camisa do clube. O nome do atacante ainda não foi publicado
no Boletim Informativo Diário da CBF por conta da ausência de documentos de
transferência internacional. Eles não foram enviados pelos chineses do Tianjin.
Por isso, o Rubro-Negro foi à Fifa para pedir a liberação e registrar o reforço
– informou a atitude em nota oficial.

A
expectativa era de que a documentação necessária fosse enviada pelos chineses
até esta quinta-feira, prazo final para a entrega voluntária. Com isso, o
atacante poderia estrear no clássico diante do Vasco, no sábado em São
Januário. No entanto, nada foi recebido até então. Os advogados da Bichara
& Marcos Motta, que trabalham com Geuvânio, já estão trabalhando para
conseguir a liberação.
O
Santos, por causa da cláusula que dava exclusividade ao clube no retorno de
Geuvânio ao Brasil, cobra 500 mil euros (cerca de R$ 1,8 milhão) do Tianjin
Quanjian. O valor foi estipulado no contrato de venda do atacante aos chineses
caso ele fosse repatriado por outra equipe – o que aconteceu com a contratação
do Flamengo. Além disso, o Santos ameaça ir à Fifa notificar oficialmente os
asiáticos.
O
departamento de futebol rubro-negro fez o pedido do registro de transferência
internacional aos chineses logo depois da abertura da janela de transferências,
no dia 20 de junho. Sem a transação registrada na Fifa, a CBF ainda não
reconhece o contrato de trabalho do jogador.
Veja a nota oficial divulgada pelo
Flamengo nesta quinta-feira à noite:
“O
Clube de Regatas do Flamengo informa que, de acordo com o previsto no
regulamento de transferências da FIFA, deu entrada na ordem de transferência do
atleta Geuvânio Santos Silva na data de abertura da janela internacional,
20/6/2017.
Nesta
quarta-feira, 05/7/2017, encerrou o prazo máximo de 15 dias previsto no
referido regulamento para envio da contra-ordem pelo clube chinês Tianjin
Quanjian.
Diante
do silêncio do referido clube chinês, o CRF encaminhou à FIFA nesta data o
pedido de registro provisório do atleta, o que se espera seja concedido nos
próximos dias.
A
atitude do Tianjin Quanjian, que firmou contrato válido de transferência
gratuita do atleta com o CRF, pelo período de 18 meses, será passível de
sanções desportivas e financeiras.
Além
disso, tão logo o registro seja concedido, o CRF irá pleitear junto à FIFA o
ressarcimento ao clube chinês pelo período em que o atleta ficou impedido de
atuar na equipe profissional.”

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here