Guerrero vence desconfiança no Flamengo

116
Wallpaper de Paolo Guerrero com a camisa do Flamengo – Foto: Jorge Rodrigues

GOAL: Nem
o mais cético parece ter muitas dúvidas. Gols, assistências, trabalho de pivô,
referência. Em 2017, Paolo Guerrero enfim concretiza tudo o que o torcedor do
Flamengo esperava desde sua chegada em meados de 2015.

Vivendo
a fase mais artilheira da carreira, o atacante, caso marque mais um gol,
alcançará o seu melhor número, uma vez que na última quarta-feira (19), no
empate com o Palmeiras em 2 a 2, na Ilha do Urubu, o jogador marcou o seu 18º
tento e igualou a sua melhor marca, registrada na sua primeira temporada pelo
Rubro-Negro e em 2013, com a camisa do Corinthians.
Mas o
que fez o rendimento de Guerrero mudar drasticamente? Muito questionado no
segundo semestre de 2016, o Flamengo chegou a vencer nove dos dez jogos em que
o peruano não esteve em campo, fazendo com que a postura da equipe caísse
assustadoramente.
No
entanto, ficou claro neste ano que o jogador avolumou-se em campo. O time joga
por ele, ele joga pelo time. A chegada do lateral-esquerdo Trauco também é um
dos fatores que contribuíram para sua ascensão – sai dos pés do compatriota a
maioria das assistências.
Agora,
Guerrero pode bater a sua marca neste sábado (22), quando o Fla enfrenta o
Coritiba, na Ilha do Urubu, pela 16ª rodada do Brasileirão. Pressionado, Zé
Ricardo precisa de um resultado positivo para afastar a crise e os
questionamentos do seu trabalho. Quem sabe ele não pode se inspirar no peruano?

COMENTÁRIOS: