No Flamengo, Diego faz sua melhor temporada na carreira

49
Diego comemorando gol pelo Flamengo – Foto: Alexandre Loureiro/Getty Images

COLUNA
DO FLAMENGO
: Diego pode não vestir a camisa 10, mas é o craque do time. Mesmo
com a 35 nas costas, comanda o rubro-negro em campo e já conquistou a status de
ídolo. Sempre demonstrando raça e sendo um dos mais participativos nos
gramados, ganhou o carinho da Nação. Não há um, por exemplo, que não lamente a
lesão que o meia teve contra o Atlético-PR, que o tirou da reta final da fase
de grupos da Libertadores. Alguns consideram a falta do craque o fator
principal para a eliminação traumática diante do San Lorenzo-ARG.

O
jogador surgiu no Santos em 2002, maravilhando o Brasil ao lado de Robinho,
Elano, Renato, Paulo Almeida e cia. Os “meninos da Vila” faturaram o Campeonato
Brasileiro daquele ano, e, após a conquista, cada um seguiu seu rumo no futebol
profissional. Diego passou por Werder Bremen-ALE, Juventus-ITA, Wolfsburg-ALE,
Atlético de Madrid-ESP e Fenerbahçe-TUR, antes de desembarcar na Gávea.

quase um ano no Flamengo, Diego ajudou o time a ser 3º colocado no Campeonato
Brasileiro do ano passado, e foi campeão carioca em 2017. E justamente neste
ano, o atleta, de 32 anos, faz uma de suas melhores temporadas na carreira. São
10 gols e seis assistências em 24 partidas. Ou seja, a cada três partidas,
Diego participa ativamente de dois gols (média de 0,67).
As
únicas temporadas melhores do que a atual, foram quando ainda vestia a casa do
Werder Bremen. Em 2007/2008, fez 18 gols e distribuiu 15 assistências em 43 jogos
(média de 0,77). No ano seguinte, foram 21 tentos e 12 passes para gol em 39
confrontos (média de 0,85).
A
vantagem é que 2017 ainda está na metade e o craque tem como melhorar ainda
mais seus números. Caindo cada vez mais, nas graças da torcida. Diego volta a
campo com o manto sagrado nesta quarta-feira, às 21h45, na Ilha do Urubu, para
enfrentar o Palmeiras.
Confira os números completos de Diego na
carreira
(exceto Santos)

COMENTÁRIOS: