O mês em que Flamengo de Zé Ricardo virou uma peneira na defesa

18
Rafael Vaz durante Flamengo x Coritiba – Foto: Divulgação

ESPN Na
última quarta-feira, o Flamengo avançou para a semifinal da Copa do Brasil, mas
levando quatro gols do Santos, na Vila Belmiro. Foi mais uma partida em julho
em que a meta rubro-negra foi vazada múltiplas vezes, em um mês em que a defesa
flamenguista, outrora dona de bons números, virou uma verdadeira
“peneira”.

Julho
começou como um mês de esperança para os torcedores do clube da Gávea. Afinal,
o meia Éverton Ribeiro entrou em forma e foi colocado pelo técnico Zé Ricardo
na equipe titular e deu nova cara ao time, tendo boas atuações, com gols e
assistências, desde seu início com a camisa vermelha e preta. 
Mas se
por um lado a torcida flamenguista viu um time mais vistoso no ataque, a
preocupação com a defesa, formada quase sempre pelos laterais Pará e Trauco e
pelos zagueiros Réver e Rafael Vaz (Rhodolfo se lesionou), transformou-se em
uma das mais vazadas do país.
Só no
mês de julho, o Flamengo fez oito partidas e levou 11 gols, o que dá média de
1,4 gol sofrido/jogo.
Em
comparação aos outros meses, a média dobrou, já que, no restante da temporada,
a equipe da Gávea havia sido vazada só 28 vezes em 40 partidas oficiais, o que
dava média de 0,7 gol sofrido/jogo.
Além
disso, em julho o Fla já vem levando gols há cinco partidas seguidas: contra
Grêmio, Cruzeiro, Palmeiras e Coritiba, pelo Campeonato Brasileiro, e contra o
Santos, pela Copa do Brasil.
Antes,
o recorde de jogos seguidos sofrendo gols era de apenas três.
Vale
lembrar, no entanto, que Éverton Ribeiro, que deu nova cara do time do Fla, não
pode jogar a Copa do Brasil, já que não foi inscrito a tempo. Sua ausência
contra o Santos foi bastante sentida, com o “Peixe” ficando a apenas
um gol de conquistar a vaga na semifinal da competição.
Rafael Vaz e Muralha são os mais
criticados
Boa
parte desta fase “peneira” ocorre pelo péssimo desempenho que vários
jogadores da defesa flamenguista vêm apresentando.
O
atleta mais criticado pelos torcedores no momento é o zagueiro Rafael Vaz, que
falhou de maneira clara em praticamente todos os jogos em que o Fla sofreu gol.
Contra
o Grêmio, por exemplo, o gol da vitória gaúcha em plena Ilha do Urubu começa em
um bote errado do defensor. Já contra o Coritiba, Vaz falhou junto com Juan,
seu veterano parceiro de zaga, e permitiu a Henrique Almeida empatar a partida
– para alívio dos rubro-negros, Éverton Ribeiro salvaria o time com o gol da
vitória aos 45 minutos do segundo tempo. 
Já na
Copa Sul-Americana, ele também se equivocou em gol do Palestino-CHI, apesar de
depois ter marcado a favor e ajudado os cariocas a golearem por 5 a 2.
Fase
pior que a de Rafael Vaz talvez viva o goleiro Alex Muralha. Desde que foi
convocado pelo técnico Tite para a seleção brasileira, o arqueiro vive um
verdadeiro “inferno astral”, falhando de maneira constante – tanto é
que, no Campeonato Brasileiro, rapidamente perdeu a posição para o jovem
Thiago.
Muralha
já havia tido atuação pavorosa contra o Palestino, pela Sul-Americana, mas fez talvez
seu pior jogo com a camisa rubro-negra na última quarta, quando mostrou muita
insegurança e foi o grande responsável pelo Fla ter levado quatro gols do
Santos, complicando uma partida que parecia tranquila a princípio.
A
esperança da torcida do “Urubu” é que a estreia do goleiro Diego
Alves, contratado recentemente do Valencia, e a volta do zagueiro Rhodolfo, que
se lesionou no início de julho, no clássico contra o Vasco, ainda não retornou,
consigam dar estabilidade à defesa dos cariocas.
A
“peneira” de julho, porém, pode ganhar ainda mais buracos no último
jogo do mês, que será uma verdadeira pedreira.
No
próximo domingo, o elenco comandado por Zé Ricardo enfrenta o Corinthians,
líder do Campeonato Brasileiro, em pleno estádio do rival, em São Paulo. O
duelo está marcado para 16h (de Brasília) e será válido pela 17ª rodada do
torneio nacional.

COMENTÁRIOS: