Ou vai, ou racha

14
Zé Ricardo, treinador do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

FALANDO DE FLAMENGO: Por Henrique Dias

Na
semana passada, disse que gostaria muito de escrever sobre duas vitórias do
Mais Querido diante de Palmeiras e Coritiba, mas, no final das contas, quase
acabo escrevendo sobre dois empates.
Afinal,
não fosse o pênalti infantil, cometido pelo zagueiro Márcio, do Coxa, sobre o
Vinicius Júnior, já nos acréscimos da partida, teríamos amargado mais um
resultado ruim dentro da Ilha do Urubu.
Aliás,
essa foi a diferença entre os dois últimos jogos do Flamengo. Se contra os
paulistas Diego desperdiçou sua cobrança, despertando a ira da torcida com o
técnico Zé Ricardo após o apito final. Diante dos paranaenses Éverton Ribeiro
converteu a sua, aliviando, momentaneamente, a barra do treinador, que mesmo
assim não escapou de alguns gritos de “burro”.
Apesar
da clara possibilidade de conquistar os últimos seis pontos, não se pode negar
que o futebol apresentado pelo Rubro-Negro continua muito aquém da capacidade
do seu elenco.
É fato
que o time precisa melhorar, e muito, se quiser algo além de um simples título
estadual na temporada. E, já que não temos mais a Libertadores esse ano, das
três competições importantes que nos restam duas têm confrontos decisivos nos
próximos dias.
Na
quarta-feira (26), às 21h45min, decidimos uma vaga na semifinal da Copa do
Brasil contra o Santos, na Vila Belmiro, podendo perder por até um gol de
diferença para seguir adiante.
Já no
domingo (30), às 16 horas, diante do líder Corinthians, no Itaquerão, pela 17ª
rodada do Brasileirão, só a vitória poderá manter vivo o sonho do hepta.
Enfim,
uma semana para cardíaco nenhum botar defeito. Só os fortes sobreviverão. Ou
vai, ou racha.
GOLS SOFRIDOS
Mesmo
tendo saído na frente nas últimas três partidas (Cruzeiro, Palmeiras e
Coritiba), o Flamengo sofreu quatro gols iguais, típicos de contra-ataque. Bola
enfiada entre os zagueiros, com o atacante adversário chegando sempre na frente
para finalizar. Zé Ricardo precisa, urgentemente, consertar o posicionamento da
defesa e dos volantes, principalmente quando está em vantagem no placar.
ARBITRAGEM
Concordo
que o Mais Querido foi prejudicado pela arbitragem nos jogos contra Palmeiras e
Coritiba. Assim como acho que a diretoria está no papel dela em formalizar suas
reclamações. Mas, que isso não sirva de desculpa para mascarar as últimas
atuações da equipe.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here