Para Casagrande, Vinicius Jr. deve voltar para Base do Flamengo

19
Vinicius Júnior, do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

SPORTV:
Houve um momento em que a torcida do Flamengo pedia a entrada de Vinicius Jr.
na equipe, principalmente depois de concretizada sua venda para o Real Madrid.
por R$ 154 milhões. O garoto passou a figurar no banco de reservas, e a torcida
gritava tanto por ele que o técnico Zé Ricardo passou a utilizá-lo. Entrou. Fez
boas partidas contra Botafogo, Sport, Atlético-GO e Ponte Preta. Outras atuou
abaixo do esperado, como no clássico contra o Fluminense, quando foi
substituído no intervalo. E depois das chegadas dos reforços Éverton Ribeiro e
Geuvânio, perdeu a vez até no banco de reservas. Há três jogos sequer é
relacionado. Para o comentarista Casagrande, o jovem deve continuar entre os
profissionais. Mas defende que ele volte a atuar pelas categorias de base.

– O
erro não está sendo agora, o erro foi lá atrás, quando começaram a botá-lo para
jogar. E colocaram porque se vendeu uma realidade que não é. A gente vive fora
da realidade. Falaram que o garoto já era o Pelé. E o garoto pode até chegar a
ser um jogador fantástico, como o Neymar. Mas naquele momento ali, era só
queimar o jogador. Esperava-se o que do Vinicius Jr.? Que ele estreasse no
Campeonato Brasileiro ou na Libertadores e fizesse três gols? Aí seria o Pelé,
a realidade teria sido confirmada.
O
apresentador Marcelo Barreto elogiou a postura do técnico Zé Ricardo diante das
pressões para lançar a revelação rubro-negra. Que os pedidos dos torcedores
virariam uma bola de neve, e as cobranças sobre o jogador passarão a fazer
parte da sua vida. Casagrande é favorável a uma transição nesses casos.
– Eu
acho que ele tem que ficar treinando no profissional para pegar experiência, o
patamar dele subiu. Mas ele tem que jogar o campeonato da categoria dele. Ele
não tem 17 anos? Joga a categoria dele. Mas treina com o profissional. Vai
treinando com o profissional e vai jogando na categoria dele. Porque ele tem
que enfrentar gente da idade dele.
O
comentarista da TV Globo lembrou seus tempos de garoto no Corinthians para
fazer um alerta de que, em alguns casos, uma prata da casa pode acabar se
queimando com um lançamento precoce, ainda que se sinta preparado para jogar.
Para o ex-atacante, é necessário haver alguém experiente para frear a ansiedade
do jovem em ser lançado.

Apesar de ele ter sido vendido por 40 milhões (de euros), a idade dele continua
a mesma, e a experiência continua a mesma. Tem que ser levada em conta a idade
dele para não prejudicar o futuro do garoto. Não foi porque tiraram a tempo.
(…) Fui jogador, comecei muito jovem, dei a maior sorte porque já estava
treinando no profissional no Corinthians, ia estrear em 81 contra o São Paulo,
machuquei o tornozelo na sexta. O Corinthians fez a pior campanha da história
em 81, e todos os meus amigos que eram do juvenil e subiram em 81… Foi todo
mundo queimado. Na Caldense, dei certo. Joguei na Caldense longe daquele
momento. Se eu estreio ou fico na geração de 81, eu estava queimado junto. E
ninguém veio perguntar para mim: “Você está pronto para jogar?”

COMENTÁRIOS: