PM cita histórico de São Januário e absolvição do STJD ao Vasco.

28
Foto: Divulgação

ESPN: A
Polícia Militar do Rio de Janeiro se manifestou através de nota oficial sobre a
violência registrada em São Januário, na noite de sábado, após a vitória do
Flamengo sobre o Vasco, por 1 a 0, no Campeonato Brasileiro. A corporação
rebateu Eurico Miranda sobre a falha na revista, que permitiu a entrada de
torcedores com bombas no estádio.

Os
estouros em meio à confusão chamaram a atenção no sábado, e Eurico
responsabilizou a PM pela revista.
“A
revista foi mal feita. Isso não é falha do Vasco, mas da PM. Aqui não há
hipótese para que se tenha guardado qualquer tipo de coisa de torcida organizada
aqui no clube. Se isso entrou no estádio, não foi culpa do clube”, disse o
cartola.
Além
da revista, a PM também diz em nota que “brigas entre torcedores do Vasco são
recorrentes neste Campeonato Brasileiro” e acrescentou que, até aqui, o clube ainda
não foi sancionado.
“Esse
fato já foi relatado nas súmulas e, até o momento, o clube não foi punido
(tendo sido absolvido em audiência semana passada)”, diz a nota.
Leia, na íntegra, o comunicado divulgado
pela PM do Rio:
“Sobre
a atuação da Polícia Militar no jogo Vasco x Flamengo de ontem, 09/07, em São
Januário, cabe esclarecer os seguintes pontos:
As
ações da Corporação começaram às 9h, numa ação conjunta com a Secretaria
Estadual de Ordem Pública (SEOP) para a repressão do comércio irregular na
parte externa ao estádio.
O
efetivo citado pelo Delegado da partida refere-se apenas ao policiamento
interno do estádio. Foram empenhados 220 policiais na parte interna e 200 na
parte externa, sem contar os apoios enviados ao final da partida.
O
Vasco cumpriu o previsto na Portaria do Ministério dos Esportes e da
Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para realização da partida em São
Januário.
A
torcida do Flamengo foi escoltada pelo Grupamento Especial de Policiamento em
Estádios (GEPE) antes do início da partida e após o final do jogo. Não
ocorrendo confrontos entre torcidas rivais na parte externa ou no interior do
estádio.
A
revista para entrada dos torcedores ao estádio é de responsabilidade do clube,
que possui funcionários destinados a isso em todos os pontos de acesso. O GEPE
supervisiona a revista.
A
confusão começou ao final da partida, entre as torcidas organizadas do Vasco.
Assim
que terminou o jogo, os conflitos internos começaram. O Batalhão de Polícia de
Choque (BPChq) foi acionado para São Januário.
A
maior preocupação da Corporação era retirada das pessoas do estádio e o
controle do tumulto provocado pelos torcedores.
Na
parte externa nossos policias foram atacados com o lançamento de garrafas e
pedras por torcedores do Vasco, onde foi necessário a intervenção do BPChq, da
Cavalaria e do 4ºBPM.
Em
relação ao tumulto generalizado iniciado na Rua do Bonfim, que acarretou na
morte de um torcedor e o ferimento de mais três, a Corporação aguarda perícia e
apuração por parte da Polícia Civil. Paralelamente a isso, o Comando da
Corporação, através do 4ºBPM instaurou procedimento para apurar as condutas dos
policiais.

Brigas
entre torcedores do Vasco são recorrentes neste Campeonato Brasileiro,
principalmente, em São Januário. Esse fato já foi relatado nas súmulas e, até o
momento, o clube não foi punido (tendo sido absolvido em audiência semana
passada).”

COMENTÁRIOS: