Poder de decisão é velho problema do Flamengo

21
Guerrero e Mancuello em Flamengo x San Lorenzo – Foto: Gilvan de Souza

ESPORTE
INTERATIVO
: O Flamengo está em outra temporada e tem quatro ou cinco caras
novas no time titular, mas o poder de decisão é uma herança de 2016 que
continua a importunar o time de Zé Ricardo. Na quarta posição, sem vencer há
três jogos e com sete empates em 15 rodadas de Campeonato Brasileiro, a equipe
até chega perto do gol adversário, mas mudar o marcador não é tarefa simples.

Para o
Rubro-Negro, falta gol para conseguir mais vitórias e aumentar o rendimento.
Principalmente em comparação com outros correntes da parte de cima da tabela.
No Brasileirão, o Flamengo mantém uma média incômoda de quase 10 tentativas
para guardar uma bola na rede.
Neste
ano, o time da Gávea tem o quinto melhor ataque, atrás de Grêmio, Corinthians,
Fluminense e Sport, e é o terceiro que mais chutou. Foram mais de 200
finalizações para marcar os 22 gols no Nacional. Perfomance praticamente
idêntica à de 2016. O Flamengo fechou o último Brasileirão com 502 chutes,
marcando 51 vezes. Os jogadores mudaram, mas a pontaria rubro-negra ainda não
evoluiu.
“Justo
ou não, foi o resultado que aconteceu. A gente produziu para vencer a partida,
até por isso a chateação. Até pela oportunidade perdida no final, com o
pênalti, acho que a gente merecia a vitória”, disse Zé Ricardo depois do 2
a 2 contra o Palmeiras, na última rodada, quando o time chutou 16 vezes e não
evitou o empate.
Apesar
do desempenho abaixo das expectativas no Campeonato Brasileiro – que deixa o
Flamengo 12 pontos atrás do líder Corinthians – o time de Zé Ricardo tem o
segundo melhor ataque do Brasil no ano, atrás somente no Fluminense, com 84
gols. Foram 39 no Carioca, 22 no Brasileirão, 11 na Libertadores, cinco na
Sul-Americana, quatro na Copa do brasil e três na Primeira Liga.
O
setor ofensivo perdeu recentemente Leandro Damião, que voltou ao Internacional.
Para o comando de ataque, o Flamengo conta com Felipe Vizeu e Guerrero, que é o
artilheiro da temporada, com 18 gols. Diego vem logo atrás, com 10. Para
melhorar o rendimento no setor, o Rubro-Negro aposta ainda nos recém-chegados
Everton Ribeiro e Geuvânio.

COMENTÁRIOS: