“Primeira batalha vencida”, diz cirurgião após cirurgia de Ederson

23
Ederson, do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

IG: Três
dias após o Flamengo anunciar que o meia Ederson estava com um tumor no
testículo, o jogador foi operado com sucesso nesta sexta-feira, no Rio de
Janeiro. O procedimento foi realizado no hospital CopaStar, na zona sul
carioca, e o tumor no testículo direito foi retirado. Além disso, o atleta
ganhou uma prótese no lugar do testículo, que foi removido e enviado para
biópsia.

“O
paciente Ederson Honorato Campos foi submetido a uma cirurgia para retirada de
tumor no testículo direito, na manhã desta sexta-feira, dia 28, no hospital
CopaStar. O procedimento foi considerado um sucesso. O paciente permanece
internado e apresenta estado de saúde estável”, disse o hospital em nota.
O
procedimento foi acompanhado de perto pelo chefe do departamento médico do
Flamengo, Marcio Tannure, que, em entrevista coletiva ao lado do cirurgião
Franz Campos, mostrou otimismo ao falar sobre a recuperação de Ederson.
“Ele
ainda vai ter que passar pelos tratamentos químico e clínico. Ainda não tem
previsão de cura. Uma previsão de volta (aos gramados) só poderemos dar após
alta clínica. Uma vez que ele tiver medicamente curado, será avaliado. Vamos
montar um protocolo para que ele volte gradualmente até a sua melhor
performance. Estamos esperançosos de que ele volte o mais breve possível. A
cirurgia foi muito bem-sucedida e isso nos dá um conforto de que as coisas
sairão dentro do esperado”, disse.
Fraz
Campos, responsável pela cirurgia, ressaltou que a chance de recuperação é
alta, mas que ainda é cedo para saber como Ederson responderá ao procedimento.
“O
cuidado maior agora é com a saúde do Ederson. Começamos uma guerra e a primeira
batalha foi vencida. É uma patologia rara, agressiva, mas com índice de cura
alto, desde que conduzido com celeridade, como está fazendo o Flamengo, com a
preocupação de desde o início para retirar a fábrica de lesão que começa no
testículo. A partir daí, as chances de cura começam a aumentar, porque já vai
para a próxima etapa de tratamento, que é multimodal. Começa com cirurgia,
segue com quimioterapia e, no futuro, avalia-se como o paciente vai
responder”, avaliou.
“A
cirurgia foi um sucesso. Durou 40 minutos. Foi necessário retirar o testículo
direito que estava acometido pela lesão. O material foi biopsiado e enviado
para o controle de biópsia, para confirmar o tumor. Foi implantada uma prótese
testicular, que é o procedimento padrão. O material retirado foi enviado para
uma análise que vai definir várias situações no futuro. Ainda é muito precoce
para falar qualquer coisa, mas tumores de testículo, como um todo, possuem um
índice de 90% de cura, e é isso o que vamos perseguir”, continuou Campos.
Carreira
Ederson
está no Flamengo desde 2015, mas antes passou pela Lazio, da Itália, Lyon e
Nice, ambos da França, Juventude, Internacional e o RS Futebol. Praticamente
durante toda sua carreira, o meia sofreu com graves lesões, mas sempre se
recuperou.

COMENTÁRIOS: