Rizek defende Zé no Flamengo: “Diego perde pênalti e é elogiado”

20
Diego e Michel Bastos em Flamengo x Palmeiras – Foto: Divulgação

SPORTV:
Empatar com o Palmeiras por 2 a 2, ainda que em casa, com a Ilha do Urubu
lotada, não chega a ser mau resultado. Mas a torcida do Flamengo demonstrou
insatisfação ao escolher como grande culpado o técnico Zé Ricardo. As vaias e
os gritos de “burro” durante e após a partida ainda ecoam pelo clube.
O presidente Eduardo Bandeira de Mello banca a continuidade do trabalho do
jovem técnico. O apresentador André Rizek, no “Redação SporTV” desta
quarta-feira, saiu também em defesa do comandante rubro-negro, lembrando o
pênalti desperdiçado por Diego aos 28 minutos do segundo tempo, quando a
partida já estava 2 a 2.

– O
torcedor do Flamengo não está bravo pelo empate de ontem. Ele está bravo com o
contexto. Ele tem uma expectativa enorme com esse elenco, e esse elenco não tem
entregado até aqui uma expectativa à altura da que o torcedor tem. Talvez isso
explique o que aconteceu na Ilha do Urubu. O Diego bate um pênalti, perde, e é
elogiado. A torcida gritou “Diego, Diego, Diego”. E como no Brasil
tudo é culpa do treinador, nas alterações e quando acaba o jogo, esse foi o
grito (“burro, burro”, nas imagens) para Zé Ricardo. Ele não bateu o
pênalti. Se o Flamengo tivesse vencido por 3 a 2, com gol do Diego, estariam
também vaiando o Zé Ricardo?
Ainda
em defesa de Zé Ricardo, Rizek apresentou no programa os números do técnico à
frente da equipe, que considera bons: em 84 partidas, teve 47 vitórias, 24
empates e 13 derrotas. Aproveitamento de 68% dos pontos conquistados. Fora a
conquista do Estadual. Mas lembrou que a eliminação da Libertadores precoce na
Libertadores, ainda na primeira fase, ainda não foi esquecida. O comentarista
Paulo César Vasconcellos vê outro problema na resistência do torcedor do
Flamengo ao jovem treinador. E faz um alerta:
– Há
esse trauma (da Libertadores). Há o fato também de ele não ter um currículo.
Agora, o melhor caminho para o Zé Ricardo continuar desenvolvendo esse
trabalho, principalmente porque ele tem o apoio explícito do presidente – e não
é aquele apoio de “eu falo isso e faço o contrário”, pelo contrário,
o que o presidente fala em público está fazendo nos bastidores -, é o Zé
Ricardo não trair suas convicções.  Ele
não pode querer começar a montar o time em função do que reivindica a torcida.
O caminho mais curto para qualquer técnico se dar mal é ele abrir mão das suas
ideias e começa a querer dirigir a equipe pela ideia dos outros. Ontem, por
exemplo, a partir de um determinado instante, o Flamengo poderia ter feito um
gol porque ele povoou a equipe de atacantes. Agora, e a organização? Ele abriu
mão disso. Isso que ele tem que pensar. Ah, o jogo está difícil? Mas não
adianta ele povoar uma equipe de atacantes. Tem que ter uma estratégia que,
independentemente do número de atacantes, essa equipe incomode o adversário,
deixe o adversário confuso na sua marcação. O Flamengo não foi um time que
deixou o Palmeiras desesperado. É um momento delicado? Vai ser delicado até o
fim do campeonato. O torcedor do Flamengo não vai esquecer a eliminação precoce
da Libertadores e tampouco vai olhar pro seu técnico e dizer assim “qual o
currículo dele?”
Carlos
Cereto, comentarista do SporTV, acha também que a eliminação precoce da
Libertadores “pega demais” para o técnico rubro-negro. André Rizek
considera também outro fator determinante que acaba levando o torcedor a fazer
a pressão aumentar.
– Ele
vê o elenco… O torcedor do Flamengo acha que tem o melhor elenco do Brasil.
Pode ser que tenha sim, eu gosto do elenco do Flamengo, e vê que o time não
está jogando aquilo que ele espera, ele vai procurar de quem é a culpa. E aí
fica mais fácil olhar para o Zé Ricardo. Ontem (quarta-feira), por exemplo, ele
coloca o jogador que sofre o pênalti, que é o Geuvânio. Se o Diego faz o gol,
ele ia ser chamado de gênio? Não seria, né?
PC
Vasconcellos argumenta também, na questão do elenco, a necessidade de
ponderação do torcedor, já que os principais reforços chegaram recentemente, já
com a competição em andamento.
– Essa
questão do elenco você tem que observar o seguinte: dois jogadores que podem
ser muito úteis para o Flamengo neste Campeonato Brasileiro, e eles só podem
jogar o Brasileiro e a Sul-Americana, chegaram agora: o Éverton Ribeiro e o
Geuvânio. O Berrío teve um período em que ele ficou parado porque teve que
passar por um recondicionamento físico. Então, quando a gente olha a questão do
elenco, a gente tem que também ponderar sobre isso. Foi legal ter trazido o
Éverton Ribeiro e o Geuvânio? Golaço. Mas chegaram agora. Rhodolfo também
chegou agora, está lesionado. Titulares. Tem que trabalhar essa formação.
Para o
comentarista do SporTV, a pressão sobre Zé Ricardo irá até o fim do campeonato,
e ele considera o treinador “um trapezista atravessando a Transamazônica,
só que lá embaixo só tem tigre, onça, jacaré”. Rizek acredita, mesmo
assim, na manutenção do treinador rubro-negro. A não ser que a campanha seja um
caos.
– O
presidente do Flamengo, com quem eu conversei na semana passada, gosta muito do
trabalho do técnico. Para demitir o Zé Ricardo, eu acho que o Flamengo vai ter
que fazer muita água ainda neste Campeonato Brasileiro.

COMENTÁRIOS: