Aos 13

45
Foto: Divulgação

REPÚBLICA PAZ E AMOR: Por Vivi Mariano

Ele
completou 13 anos. E eu queria poder dizer para esse pequeno grande menino que
o tempo não deixa de passar. Mas que ele deve ir passando pelo tempo com a vida
cheia de paixão pelo FLAMENGO. E assim andando no mundo por querer chegar, como
nos versos do Toninho, ele vai viver os sonhos mais lindos em preto e vermelho.
Com aquele olhar doce, cheio de esperança, de amor e fé no Mais Querido. O
mesmo olhar que eu vejo nos meninos-leitores, meninos-amigos, meninos-pais,
menino-amor-meu, meninos-desconhecidos, meninos-de-redes-sociais, cantando os
seus sonhos pelo chão das arquibancadas onde estiver o Flamengo. E nas meninas
também. Essas com olhares de paixão que não se mede. Paixão que enlouquece.
Paixão que resiste, supera e acontece.
Ele
completou 13 anos. E do primeiro ao último mês de gestação frequentou o
Maracanã, Volta Redonda, Macaé. Nasceu e já viu mais jogos que eu nos estádios
do Brasil. Já torceu pelo Basquete até fora do país. Esse pequeno grande menino
nasceu no compasso do passo de dois corações rubro-negros…na marcação do
surdo…no grito de gol…na festa do povão…movido pela alegria de SER RUBRO-NEGRO.
Ele, AOS 13, foca no jogo. Renasce quando o time avança e a torcida “vem”. Ele
acredita quando perdemos as esperanças. Ele sonha quando deixamos de acreditar.
Ele vive o Flamengo do rubro e do negro. Ele, AOS 13, sabe que o Clube de
Regatas do Flamengo é de TODOS. De todas as gentes. Recebeu a educação de que o
espaço da arquibancada que ocupa é plural. Não aceita a elitização e defende a
inclusão. Entende de amor ao próximo rubro-negro. Tenho vontade de abraçar cada
vez que estou com ele, de contemplar a sua pureza de ser Flamengo, acima de
interesses políticos, de grupos partidários, de disputas pessoais, de um
Flamengo que não reconhecemos quando esquece do seu POVO.
Ele
completou 13 anos. Vem da Baixada. E tem garra, disposição, para lutar pelo
Mais Querido. Um VERDADEIRO defensor do manto. Entendeu que em dias ruins,
quando nos questionamos se “VALE A PENA PASSAR TUDO ISSO PELO FLAMENGO?” A
resposta é SIM e ponto. Quando o juiz apitou o final da partida entre Flamengo
x Botafogo, nesta noite mágica de quarta-feira, eu procurei por esse pequeno
grande homem rubro-negro, entre tantos que estavam ao meu redor, e fiquei
observando ele sendo FLAMENGO. Eu chorei. Vale muito passar QUALQUER COISA pelo
Flamengo. Por dores. Por amores. Por dores de amores. Pelas vitórias. Pelas
derrotas. Por amigos. Por abraços. Por UM abraço. Pelo drible do Berrío. Pelo
gol do Diego. Pela festa promovida pelas organizadas. Pela explosão de ALEGRIA
no final da partida. Fazia tempo que eu não chorava no Maracanã. Não aquele
choro de lamento que ninguém cala. Mas um choro de catarse, de purificação de
alma, de descarga emocional. Levo para o Maraca a história da minha vida. As
emoções de um amor. Os sonhos de uma torcedora devota, apaixonada, encantada
(algumas vezes devastada) pelo Flamengo. Ele, AOS 13, sem tantas questões, sem
decepções, é só AMOR. E eu, através dele, sou MAIS AMOR pelo FLAMENGO.
Ele
completou 13 anos. E não sabe quantas lágrimas eu tenho derramado, só em saber
que eu não posso mais, reviver o meu passado. Mas ele me olha e entende que eu,
assim como ele, ainda tenho sonhos. No Maracanã, eu e ele, entendemos que AMAR
O FLAMENGO é ressurgimento. É renascer. Que aquela arquibancada renova a nossa
capacidade de sonhar. E não nos faz desistir dele, deles. Sem o Flamengo o
Maraca não tem vida. Nem nós. Sem o Flamengo é só futebol. Sem o Flamengo meu
coração não tem amor. Nem um amor. O Flamengo é alma acompanhada, que mata,
maltrata e arrebata. Feliz 13 anos de Flamengo, Alvarenguinha.
Pra
vocês,
Paz,
Amor e Seremos Campeões.

COMENTÁRIOS: