As 7 missões de Rueda para fazer Flamengo ‘ressuscitar’

16
Carlos Eduardo Velasco, Rueda, Rodrigo Caetano, Fred Luz, Márcio Tannure e Bernardo Redin – Foto: Gilvan de Souza

ESPN: O
técnico Reinaldo Rueda começa nesta terça-feira a sua missão de ‘ressuscitar’ o
Flamengo na temporada. Confirmado e apresentado oficialmente como comandante do
clube nesta segunda, o colombiano começa a trabalhar já de olho no duelo de ida
da semifinal da Copa do Brasil diante da Botafogo, na quarta.

E
Rueda já tem alguns pontos que precisa dar uma atenção especial em seu novo
trabalho. Da defesa ao ataque, passando bastante pelo setor de criação, o
ESPN.com.br separou 7 missões que ele terá pela frente para melhorar o
rendimento do time em campo.
Vale
lembrar que o próprio colombiano admitiu que não há ‘paciência’ com treinadores
no futebol sul-americano, o que faz com que ele não goste da ideia de assumir
um trabalho no meio do caminho, como fará agora.
“Há a
dificuldade de assumir um projeto já iniciado. Havia recebido outras ofertas de
outros lugares, inclusive, na Colômbia, e que eu rejeitei pois sabia que
assumir um projeto começado não é fácil. Mas penso que uma oportunidade como
essa, do Flamengo, não é todo dia. Vamos assumir sabendo que temos metas
imediatas e metas a médio prazo e vamos apostar no êxito”, disse.
“No
futebol não há paciência, ainda mais na América do Sul. Somos muitos emotivos,
ainda mais com uma equipe grande. Sabemos que precisamos entregar algo em médio
prazo e estamos seguros que teremos o respaldo da diretoria e torcida. Porém,
temos consciência que precisamos entregar dentro de campo para responder este
apoio”, completou.
De
qualquer forma, ele terá que correr contra o tempo para corrigir os problemas
da equipe.
Veja 7
pontos fundamentais a serem corrigidos:
1. Chuveirinhos
Em um
time com tantos talentos do meio para frente, o Flamengo tem no ‘chuveirinho’
uma de suas principais jogadas.
Hoje,
o Fla é o segundo time com mais cruzamentos no Brasileirão. Já são 488, atrás
apenas do lanterna Atlético-GO (506). A equipe até a terceira que mais faz gols
de cabeça, mas, mesmo com tantos cruzamentos assim, são apenas 6 bolas na rede
desse jeito.
2. Dupla de meias
Boa
parte do excesso de cruzamentos acontece porque o Flamengo ainda não achou um
jeito de jogar com os dois excelentes meias que tem ao mesmo tempo.
Desde
a chegada de Éverton Ribeiro, foram 9 jogos em que os dois estiveram em campo
ao mesmo tempo no Brasileirão. São 3 empates, 3 derrotas e apenas 3 vitórias.
3. O ‘problema’ Conca
Outro
que poderia ajudar a armar o jogo de uma forma melhor seria Darío Conca.
O
problema é que o argentino praticamente não existe hoje no elenco rubro-negro.
Desde que voltou de lesão, ele jogou apenas 15 minutos e se tornou mais uma dor
de cabeça para a diretoria, que não consegue explicar sua contratação.
Se
conseguir recuperar Conca, Rueda não só ganha uma excelente opção a mais como
ajuda a diretoria a se livrar de um de seus maiores problemas.
4. A FINALIZAÇÃO
Se
precise criar mais, o Flamengo também precisa aproveitar melhor as chances que
tem.
Hoje,
o time tem apenas a 10ª melhor relação gols/chute do Campeonato, com apenas 9%
das finalizações se transformando em gols – são 301 finalizações e apenas 27
gols marcados.
Como
base de comparação, os líderes Corinthians e Grêmio têm marcas de 14,3 e 14,1%.
5. A dupla de volantes
Talvez
não haja nenhum jogador mais contestado em todo o mundo neste momento que
Márcio Araújo. A torcida o quer no banco de reservas, mas o problema é que, até
agora, nenhum dos volantes do elenco mostrou futebol que convencesse.
E olha
que bons nomes não faltam: Cuellar, Willian Arão e Rômulo.
Nenhum
deles, porém, vive boa fase.
Como o
futebol hoje em dia passa muito pelos pés dos volantes, recuperá-los é uma
missão primordial.
6. 
A defesa
A
defesa flamenguista nem tem números tão ruins assim – são 21 gols sofridos no
Brasileirão, a sexta melhor do torneio.
O
problema é que o time tomou gols em todos os últimos oito jogos. 13 dos 21 gols
sofridos saíram só nestas partidas.
E boa
parte deles em falhas gerais de marcação, com alguém aparecendo sozinho no meio
da área para marcar.
7. Ganhar dos times de cima
Corrigindo
tudo isso, o Flamengo talvez finalmente consegue ganhar dos melhores times do
campeonato.
Até
agora, o time rubro-negro não conseguiu ganhar de nenhum da parte de cima da
tabela. Contra os outros nove times entre os 10 primeiros, são seis empates e
três derrotas. Um aproveitamento pífio de 22% dos pontos disputados.

Como
comparação, contra os 10 da parte de baixo da tabela o Fla tem quase 70% de
aproveitamento.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here